Traficantes voltam a fazer disparos de metralhadora no Complexo da Maré

As rajadas assustaram moradores e foram testemunhadas também pelos militares que ocupam a região

Comentar
Compartilhar
09 ABR 201420h28

Pouco mais de 24 horas após promover cinco ataques no Complexo da Maré, na zona norte do Rio, criminosos que continuam instalados nas comunidades ocupadas pelas Forças Armadas desde domingo dispararam tiros de metralhadora na Favela Salsa e Merengue, por volta das 4h30 desta quarta-feira, 9. As rajadas assustaram moradores e foram testemunhadas também pelos militares que ocupam a região.

Os autores dos disparos não foram identificados e ninguém se feriu. Segundo o major Alberto Horita, chefe da Comunicação Social da Força de Pacificação, não se sabe se os tiros foram disparados na direção da tropa. Para ele, o mais provável é que tenham sido para o alto. Na noite de segunda-feira, houve ataques a tiros em cinco pontos da Maré. Em três deles (nas favelas Vila dos Pinheiros, Conjunto Esperança e Vila do João), os disparos foram feitos por ocupantes de um Corolla preto na direção de pontos de mototáxis, onde também havia barreiras montadas por militares. Um mototaxista de 28 anos foi baleado no braço. Já nas favelas Baixa do Sapateiro e Morro do Timbau, os tiros teriam sido na direção da tropa.

Ontem de manhã, a Polícia Civil apreendeu 2 mil frascos de lança-perfume na Vila do João. Na noite de terça, a Força de Pacificação encontrou cerca de 18 quilos de maconha prensada na Baixa do Sapateiro. A droga estava num veículo Fiat Uno azul roubado, que estava estacionado em uma das vias da comunidade. Também foram apreendidos carregadores para fuzil calibres 7,62 e 5,56, 20 cartuchos de pistola 9 mm, entre outros materiais. Em outra ocorrência, os militares detiveram dois menores suspeitos de envolvimento com o tráfico.

Criminosos dispararam tiros de metralhadora na Favela Salsa e Merengue (Foto: Agência Brasil)