Porteiro de 38 anos é morto em roubo de celular

Um porteiro de 38 anos morreu baleado após dois ladrões em uma moto roubarem seu celular

Comentar
Compartilhar
20 SET 2021Por Folhapress15h40
Câmera de monitoramento flagrou a fuga dos dois criminosos suspeitos de roubar o celular de um porteiro e depois atirar contra a vítima, domingo (19), na região de Pedreira, na zona sul da capital paulistaCâmera de monitoramento flagrou a fuga dos dois criminosos suspeitos de roubar o celular de um porteiro e depois atirar contra a vítima, domingo (19), na região de Pedreira, na zona sul da capital paulistaFoto: Reprodução

Um porteiro de 38 anos morreu baleado após dois ladrões em uma moto roubarem seu celular, quando a vítima aguardava para ir ao trabalho, por volta das 17h20 deste domingo (19). O crime ocorreu na região de Pedreira, na zona sul da capital paulista. Nenhum criminoso ainda foi preso.

O caso é o segundo latrocínio (roubo seguido de morte) em sequência na capital. O neto do narrador esportivo Luciano do Valle (1947-2014), Lucas do Valle Oliveira, 29, morreu após ser abordado na semana passada por dois criminosos em uma moto, no Ipiranga (zona sul). Um dos suspeitos já foi preso.

No assassinato do porteiro, testemunhas relataram a policiais militares que Ricardo Barros Arouche estava em um ponto de ônibus, na altura do número 478 da rua Vicente Strichalsky, quando dois homens em uma moto pararam ao lado da vítima e anunciaram o assalto.

A vítima, segundo registros do 98 DP, (Jardim Miriam), estava sentada no ponto e entregou o celular aos bandidos. Em seguida, ainda de acordo com a polícia, a vítima teria colocado a mão no bolso, como se fosse retirar sua carteira, momento em que um dos bandidos atirou.

O porteiro foi atingido na região do tórax. A dupla fugiu em seguida.

Uma câmera de monitoramento registrou a fuga dos ladrões em alta velocidade, em uma moto Honda preta. As imagens são usadas pela polícia para tentar identificar e prender os bandidos.

Após o disparo, a PM foi acionada até o local, onde constatou que a vítima foi ferida do lado direito do tórax. A morte de Arouche foi confirmada instantes depois por socorristas do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).

A mulher do porteiro, uma cabeleireira de 46 anos, afirmou à polícia que a vítima estava no ponto de ônibus, pois iria trabalhar na região de Moema (zona sul). Arouche morava a poucos metros de distância do local onde foi abordado pela dupla de ladrões, segundo ela.
A cabeleireira acrescentou que o marido não tinha inimizades e que saía de casa somente para trabalhar. Ambos estavam casados há 15 anos. A vitima deixa duas filhas.

A SSP (Secretaria da Segurança Pública) afirmou, no início da tarde desta segunda-feira (20), que equipes do 98º DP analisam imagens de câmeras de monitoramento para identificar os criminosos. "Diligências estão em andamento em busca de mais imagens", diz trecho de nota.