X
Polícia

Polícia Civil apura se Kauani foi asfixiada mediante esganadura

Uma outra hipótese sob apuração é de que ela tenha morrido por afogamento após ser jogada em córrego

O corpo da menina passará por exames no Instituto Médico-Legal (IML) de Praia Grande / Arquivo Pessoal/Diana Soares

O corpo da estudante Kauani Christiny Soares Rodrigues, de 6 anos, está no Instituto Médico-Legal (IML) de Praia Grande para exame necroscópico e a Polícia Civil apura se ela foi asfixiada mediante esganadura.

Uma outra hipótese sob apuração para a causa da morte é a de que tenha sido por afogamento após ser jogada em um córrego. O IML também irá apontar se a menina foi violentada sexualmente.

Acusado pelo homicídio e pela ocultação do corpo, o morador de rua Rodrigo de Paula Sales, de 28 anos,  preso desde segunda-feira (22), será submetido a uma audiência de custódia nesta terça-feira (23).

Sales confessou que cometeu o crime por vingança, após participar de uma festa na casa onde menina morava, em uma ocupação irregular na Orla de Mongaguá. Ele a sequestrou na madrugada de quarta-feira (17).

Na quinta-feira (18), o morador de rua chegou a ser ouvido pela Polícia Civil, mas foi liberado, pois não havia ainda indícios do envolvimento dele.

Análise de imagens de monitoramento da cidade trouxeram novas suspeitas sobre Sales e no início da tarde desta segunda ele foi localizado e admitiu na mesma tarde o crime. 

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

CAMPANHA

Destinação Criança: doações podem ser feitas até o final do ano

Interessados poderão ter abatimento na declaração de Imposto de Renda

Criança faz campanha para ajudar Fundo Social de Praia Grande

Miguel, de 8 anos, mobilizou parentes e amigos para juntar tampinhas de garrafas pet, que serão utilizadas para comprar cadeiras de rodas

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software