Justiça prende suspeitos de assassinar PM achado morto em carroça

Um policial militar foi achado morto dentro de uma carroça na cracolândia, na região central da capital paulista, no último sábado

Comentar
Compartilhar
22 OUT 2020Por Gazeta de S. Paulo18h04
PMs detêm carroceiros suspeitos de participarem da morte do policialFoto: Reprodução

A Justiça decretou a prisão preventiva dos quatro homens suspeitos de matar o policial militar Daniel Alves de Lima, 32 anos, achado morto dentro de uma carroça na cracolândia, na região central da capital paulista, no último sábado (17). O soldado estava desaparecido desde sexta-feira (16) e foi encontrado nu, amarrado e com sinais de violência pela Polícia Militar (PM).

Um cozinheiro de 35 anos e três desempregados, de 26, 32 e 37 anos, que empurravam a carroça com o corpo do soldado, foram presos em flagrante pela PM. Eles negaram o crime e disseram à Polícia Civil que não sabiam que estavam transportando um corpo.

Os quatro foram indiciados por homicídio qualificado. Eles já tinham passagens anteriores por outros crimes, como tráfico de drogas e furto, de acordo com informações do "G1".

O caso

O Instituto Médico Legal (IML) e o Instituto de Identificação Ricardo Gumbleton Daunt (IIRGD) confirmaram na segunda-feira (19) que o corpo encontrado nu e amarrado dentro de uma carroça na região da cracolândia no último sábado (17) é do policial militar Daniel Alves de Lima, que estava desaparecido desde sexta-feira (16). Segundo os peritos, o corpo tinha sinais de violência.

Daniel trabalhava na 1ª Companhia do 18º Batalhão da Polícia Militar, em Presidente Prudente, interior do Estado. Segundo informações em redes sociais, ele tinha um trabalho de evangelização com dependentes químicos em São Paulo.

A comunicação da Polícia Militar confirmou que "informações preliminares dizem que possivelmente o PM estaria evangelizando para moradores de rua, na região central da capital”.