Homem é preso por exploração sexual e pornografia infantil em Cubatão

Polícia apreendeu computadores, notebooks e telefones celulares com imagens de pedofilia; homem, de 36 anos, morava no Jardim Casqueiro

Comentar
Compartilhar
02 SET 2021Por Da Reportagem18h53
Polícia apreendeu computadores, notebooks e celulares em casa no Jardim CasqueiroPolícia apreendeu computadores, notebooks e celulares em casa no Jardim CasqueiroFoto: Divulgação

Um homem, de 36 anos, foi preso na manhã desta quarta (01), que mantinha em seus computadores, notebooks e telefones celulares cópias de arquivos contendo imagens de pedofilia. Além disso, ele induzia menores a produzirem vídeos de maneira sexualmente explícita, mediante pagamento de valores, recarga de celular ou recarga de jogos na Internet. Ele foi preso em sua residência, no Jardim Casqueiro. A apreensão e a investigação foram conduzidas por policiais da Delegacia de Defesa da Mulher de Cubatão, com o apoio da equipe do 2º Distrito Policial de Cubatão.

A investigação deu início no último dia 20 de agosto. A mãe de um adolescente de 13 anos denunciou que um homem estava induzindo seu filho a enviar vídeos de conteúdo pornográfico, mediante pagamento em moeda virtual para jogos on line. A equipe especializada conseguiu identificar e localizar o indivíduo e, com base em fortes indícios, foi representado pela expedição de mandado de busca domiciliar, deferido pelo Poder Judiciário. 

Na quarta-feira (01), os investigadores dirigiram-se até o imóvel onde encontraram o suspeito. Durante as buscas, foram apreendidos no dormitório do suspeito 2 notebooks, 10 aparelhos celulares, um computador, diversos chips de telefonia móvel, HD externos, entre outros eletrônicos. Em razão da autorização judicial constar quebra de sigilo de dados nos objetos apreendidos, já foi possível constatar a existência de farta quantidade de arquivos contendo pornografia infanto-juvenil. Além de encontrar material da vítima de 13 anos que ensejou a investigação, também foram encontrados arquivos de outras vítimas aparentemente menores de idade. Segundo a polícia, também foram constatados diversos contatos no aplicativo “Whatsapp” de rapazes, aparentemente menores de 18 anos, induzindo as vítimas a produzir vídeos pornográficos mediante pagamento e outras recompensas. Foram encontradas inúmeras transferências bancárias.

O suspeito foi preso em flagrante. As condutas de armazenar conteúdo contendo cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente, e ainda, pela forma de exploração sexual exercida, de modo a induzir as vítimas a se exibirem de maneira sexualmente explícita em troca de transferência habitual de valores, configura dois crimes distintos previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).