Ex-preso em Oruro é morto em chacina dentro de organizada do Corinthians

Fábio Neves Domingos, de 34 anos, havia sido preso na Bolívia, em 2013; polícia relaciona crime com o tráfico de drogas

Comentar
Compartilhar
19 ABR 201514h17

Oito pessoas foram mortas em uma chacina na quadra da torcida organizada do Corinthians, Pavilhão 9, embaixo da ponte dos Remédios, na zona oeste de São Paulo, na noite deste sábado, 19. A Polícia Militar foi chamada por volta das 23 horas.

Entre os mortos está Fábio Neves Domingos, de 34 anos, ex-presidente da organizada e um dos corintianos presos em Oruro, na Bolívia, em 2013. À época, ele e outros 11 torcedores foram detidos após a morte do adolescente Kevin Espada, de 14 anos, na partida entre Corinthians e San José pela Copa Libertadores de 2013.

De acordo com o Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), três indivíduos armados invadiram a sede e deixaram sete mortos no local. A oitava vítima tentou fugir e, baleada, foi levada ao Hospital das Clínicas, mas não resistiu ao ferimento e morreu horas depois.

Apesar de a ocorrência ter sido na véspera do clássico entre os arquirrivais Corinthians e Palmeiras, pela semifinal do Campeonato Paulista, a Polícia Militar explica que não há indícios de que a chacina seja consequência de uma "vingança" entre torcidas organizadas e que, provavelmente, está ligada ao tráfico de drogas. As circunstâncias do crime ainda estão sendo investigadas.

Nove pessoas morreram (Foto: Fábio Neves/Brazil Photo Press)