Creci-SP diz que preso por tráfico em Praia Grande não é inscrito

Ao ser preso, no registro do caso, o homem sustentou ser corretor de imóveis

Comentar
Compartilhar
05 MAR 2021Por Gilmar Alves Jr.14h43
O homem foi perseguido e preso após deixar a garagem do prédio de luxo, no BoqueirãoO homem foi perseguido e preso após deixar a garagem do prédio de luxo, no BoqueirãoFoto: Divulgação/Polícia Civil

O Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci-SP) afirmou nesta semana, em nota, que o homem preso por tráfico de drogas após sair de um prédio de luxo em Praia Grande não é inscrito na entidade. Ao ser preso pela Polícia Civil, no último dia 23, ele afirmou que trabalha como corretor de imóveis.

O Creci diz que ao tomar conhecimento da ocorrência encaminhou uma equipe de analistas para a 1ª Delegacia da Divisão Especializada de Investigações Criminais (Deic) regional para verificar o caso.

“Segundo as informações obtidas, ficou comprovado que o infrator não é inscrito como corretor de imóveis no Creci-SP, e também não possui nenhum registro como estagiário na entidade. Trata-se, portanto, de alguém que se intitula corretor, mas que, provavelmente, atua na ilegalidade”, diz o conselho.

Na nota, o Creci ressaltou a importância da divulgação do resultado da apuração em respeito à classe de profissionais regularmente inscritos, revelando o equívoco e desvinculando a categoria desse ato ilícito.

O Diário procurou o advogado do preso para manifestação sobre o caso, mas ele não retornou contato até a conclusão deste texto.