Reintegração dos demitidos será decidida pelo TRT

A situação dos metalúrgicos demitidos em maio pela Usiminas de Cubatão deverá ser decidida pelo Tribunal Regional do Trabalho, somente no final de julho ou início de agosto

Comentar
Compartilhar
25 JAN 201323h04

A situação dos metalúrgicos demitidos em maio pela Usiminas de Cubatão deverá ser decidida pelo Tribunal Regional do Trabalho, somente no final de julho ou início de agosto, quando haverá o julgamento da ação movida pelo Sindicato dos Metalúrgicos da Baixada Santista contra a empresa.

Segundo o vice-presidente do Sindicato, Florêncio Resende de Sá, o Sassá, o sindicato quer a reintegração de 93 trabalhadores demitidos que enfrentam problemas de saúde ou estão próximos de se aposentarem.

Porém, na segunda audiência de conciliação no TRT, ontem, a empresa manteve a proposta de recolher o INSS de dez funcionários desligados por 12 meses e estender o plano de saúde para outros 16 ex-funcionários.

Já a desembargadora da Vara de Dissídio Coletivo do TRT, Ivani Contini Bramante, propôs a empresa o recolhimento do INSS por 12 meses e o recolhimento da previdência suplementar (Cosiprev e Fenco) e extensão do plano de saúde para 29 dos 93 trabalhadores dispensados que constam na lista elaborada pelo sindicato.  

O Ministério Público do Trabalho também foi acionado na ação judicial pelo sindicato, e o julgamento da ação só deverá ocorrer após o pronunciamento do Ministério Público do Trabalho.

Usiminas

Em nota, a Usiminas respondeu por meio da assessoria de imprensa que “Em audiência realizada hoje (25/06), no TRT em São Paulo, com o Sindicato dos Metalúrgicos da Baixada Santista, a Usiminas apresentou novamente uma proposta. Como não houve acordo entre as partes, a decisão sobre esses desligamentos segue para julgamento, com data a ser definida”.