X
Santos

Visita monitorada ao Jardim Botânico de Santos ensina e incentiva compostagem

O evento integra a ampla programação da Semana Lixo Zero (SLZ), promovida pelo Instituto Lixo Zero Brasil

jardim botanico / Divulgação/PMS

A visita monitorada ao Centro de Aprendizagem em Compostagem e Agricultura Urbana (Cacau), no Jardim Botânico Chico Mendes, em Santos, foi uma oportunidade para adultos e uma criança terem contato pela primeira vez com o processo biológico de decomposição e reciclagem de matéria orgânica. O processo pode ser feito até mesmo em apartamento, conforme destacou o chefe da Seção de Educação Ambiental, Victor Nagib, durante a visita, na tarde desta segunda-feira (25). 

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

O evento integra a ampla programação da Semana Lixo Zero (SLZ), promovida pelo Instituto Lixo Zero Brasil. As atividades serão realizadas até o dia 31  (https://www.santos.sp.gov.br/?q=noticia/semana-lixo-zero-tem-extensa-programacao-educativa-em-santos).

Logo no começo da visita, Nagib mostrou aos participantes uma caixa coletora e explicou que, com o uso de restos de legumes e verduras, é possível um processo de compostagem gerando adubos líquido e sólido. 

Um meio mais barato que a caixa coletora, com baldes vazios de tinta de 15 litros, também foi exibido e mostra que havendo vontade ninguém fica de fora. 

O chefe da Seção de Educação Ambiental mostrou as minhocas californianas usadas para o processo de compostagem. "A base da alimentação dela é o resto da nossa comida. O processo de degradação da matéria orgânica é muito mais rápido com essas minhocas", disse. 

PRIMEIRO CONTATO

A estudante Júlia Félix da Silva, 9 anos, estava atenta a todo o processo e se sentiu incentivada. "Eu gostaria de fazer uma compostagem dessa em casa", disse. 

A universitária Fernanda Cordeiro da Silva, 38, fazia atividade física no Jardim Botânico quando se interessou pela visita e participou. "Eu não sabia mesmo que dava para fazer isso em apartamento. É uma ideia criativa e um incentivo para quem usa bastantes frutas e verduras". 

HORTA

Com os adubos produzidos no local e com a reutilização de uma série de objetos como telhas, pneus velhos, carrinho de mão em desuso e pias, a plantação é mantida, sendo cultivados manjericão, pepino, cebolinha, cenoura, hortelã, espiral de ervas e até pau-brasil. 

"Achei linda a horta, com a reutilização de pneus e pias. Nem sabia que poderia ser feito", disse a visitante Fernanda da Silva. 

SEMANA LIXO ZERO

O chefe da Seção de Educação Ambiental destaca a importância da visita monitorada ao Cacau dentro da programação da Semana Lixo Zero. 

"Com a compostagem da matéria orgânica, a gente evita que toda essa matéria orgânica vá para o aterro sanitário. Cinquenta por cento do nosso resíduo (produzido em casa) é matéria orgânica, é resto de alimento. Se a gente fizer a compostagem vai dar um tempo de vida maior para o aterro sanitário. Vamos deixar de levar essa matéria orgânica para lá. Esse é um dos pontos positivos da compostagem, além de você gerar o húmus (sólido) e o biofertilizante (húmus líquido). Essa é a relação com a Semana Lixo Zero. Você acaba reciclando a matéria orgânica", afirma Nagib.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Mundo

Homem procura hospital com projétil de canhão no ânus e médicos acionam equipe antibomba

O objeto tem 17 cm de comprimento e 6 cm de largura

Saúde

Brasil chega a 6 casos de variante ômicron

O caso gaúcho é de uma mulher residente em Santa Cruz do Sul (RS), que voltou de viagem da África do Sul -país onde inicialmente foi identificada a ômicron- na última semana

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software