X
Cotidiano

Sexo, drogas e 'rock and roll' no Jardim Botânico Chico Mendes

Equipamento vem servindo para festas, uso de drogas e prática de sexo. Plantas são furtadas e cães circulam livremente

A falta de segurança dentro e fora do equipamento é apenas um dos problemas que tomam conta do Jardim Botânico Chico Mendes / Nair Bueno/DL

Bastou o Diário publicar, com exclusividade, a situação de falta de segurança no interior e exterior do Jardim Botânico Chico Mendes, no Bom Retiro, Zona Noroeste de Santos, para que inúmeras informações chegassem à Reportagem, mostrando que a situação vai muito além de assaltos. As mais importantes vieram pelas mãos de quem conhece a realidade vivida dentro dos 90 mil metros quadrados do equipamento: os guardas municipais.

Segundo revelam, a falta de um efetivo maior e o não cumprimento de regras básicas, fazem do lugar palco de sexo, drogas e festas particulares. "Apesar das diversas câmeras e a presença de uma Coordenadoria da Guarda Civil Municipal de Santos (GCM), nada impede que ocorra todo tipo de infração ou crimes no local, haja vista que dois guardas - um de dia e outro à noite - fiscalizam todo o equipamento. Além disso, o monitoramento é utilizado fiscalizar o funcionário", dispara um dos guardas que entrou em contato com a Reportagem e que pediu para preservar identidade por razões óbvias.

Ele ainda afirma que não há como evitar abusos e que as regras foram sendo 'afrouxadas' com o passar do tempo. "É proibido a entrada de cães, seja o porte que for, mas os gestores liberaram e esse é só um dos absurdos! Uma criança chegou a ser atacada tempos atrás", afirma, enfatizando que também é proibido circular de bicicleta de aro grande, realizar festas de aniversário e outros tipos de eventos, como futebol, "mas estão fazendo tudo isso com decoração, som alto e bolo de festa em quase toda a extensão do equipamento".

Os guardas alertam que é comum a extração de frutos, mudas ou galhos sem as devidas autorizações e acompanhamentos e que tudo é feito por conta da dificuldade de visualizar. Em regra, o guarda fica rondando e não consegue impedir já que o parque é imenso e possui duas entradas. "Já foram apreendidos 15 cacaus verdes que foram arrancados por uma família", lembra.

SEXO E DROGAS.

Um dos guardas revela que, nas áreas de trilhas, é comum flagrante de pessoas praticando sexo. "São situações até corriqueiras e fácil de provar pela quantidade de preservativos em alguns trechos do Jardim Botânico. Quando flagrados, saem correndo, limitando assim qualquer condução ou provas suficientes para embasar um boletim de ocorrência", revela um guarda.

Contam ainda que uso de entorpecentes ocorre nos bancos e de dia. "Os guardas costumam orientar para que a prática não seja feita lá dentro pois sabem que o crime permeia aquela área e correm riscos. Uma reprimenda maior pode ter reflexos contundentes como perder a própria vida. Há histórico de disparo de arma de fogo contra ex-funcionário e assalto a guarda", finaliza um guarda.

SEGURANÇA.

Conforme publicado, o Jardim Botânico Chico Mendes, localizado à Rua João Fracarolli, s/n, aos poucos vem deixando de ser um espaço verde agradável para se tornar o reflexo do descaso público e palco de assaltos. Além de não conseguir conter a violência, a GCM não está conseguindo conter o vandalismo, principalmente em relação aos brinquedos infantis que o equipamento oferece. A Prefeitura garante que está realizando reformas.

Sobre a situação de insegurança sofrida no exterior do equipamento, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) do Governo do Estado já se manifestou alegando que o policiamento preventivo e ostensivo é reorientado e intensificado com base na análise dos índices de ocorrências criminais. A Polícia Civil não localizou registros recentes de roubos na rua.

PREFEITURA.

A GCM informa que o local conta com câmeras de monitoramento ligadas a uma central 24 horas, uma viatura efetua ronda diuturnamente e bicicletas são utilizadas no patrulhamento. Também que o equipamento conta com quatro guardas de plantão, para fiscalizar o cumprimento do Código de Postura e patrulhar a área com o objetivo de promover a segurança.

Destaca, ainda, que desde a implantação da Coordenadoria no Parque, não houve nenhum registro de ocorrência grave e que é permitida a entrada de cães com acompanhamento e coleira. Também é permitida circulação de bicicletas de aro pequeno e não é permitida a prática de esportes coletivos.

A Prefeitura garante que eventos de confraternização são permitidos, especialmente na modalidade piquenique, vedado som alto, e que não é permitida extração de mudas ou galhos, inexistindo proibição para usufruir de frutas, como também é não é permitida a prática de sexo no parque, assim como nos demais locais públicos.

Finalizando, a Administração garante não ser verdadeira a alegação "orientação" para uso de entorpecente fora do parque, nem complacência pelo uso em seu interior, "tampouco se conhece, em passado recente, das mencionadas ocorrências. Os frequentadores do Jardim Botânico podem denunciar eventuais irregularidades na coordenadoria do parque, localizada próximo à entrada, e junto à equipe da GCM de plantão", finaliza nota.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Brasil

Governo: Mário Frias contrata por quase R$ 4 milhões empresa sem licitação e sem funcionários

A sede da empresa seria uma caixa postal em um escritório virtual a 2.400 km do Rio de Janeiro

Polícia

Corregedoria investiga aparição de pênis de borracha em academia da PM

A academia do Barro Branco tem aproximadamente 660 cadetes, além de cerca de 140 funcionários

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software