Relacionamentos familiares: como reduzir os conflitos?

O relacionamento em família pode ser muito feliz, repleto de momentos alegres e descontraídos, mas algumas vezes nos deparamos com relacionamentos onde as pessoas não se entendem, gerando muitos conflitos

Comentar
Compartilhar
12 MAR 2017Por Da Reportagem14h00

Cada indivíduo é um ser único e possui suas próprias particularidades, como traços de personalidade, idade e forma de ver a vida, e por isso mesmo, relacionar-se com os familiares pode gerar divergências de opiniões.
São muitos os motivos causadores de conflitos, como brigas por poder e ciúmes. Competição entre familiares e até mesmo inveja também podem ser motivos comuns.
Familiares têm conosco laços importantes de carinho e, acima de qualquer embate ou briga, precisamos priorizar o diálogo franco e aberto, buscando a melhor solução para todos os lados.
Atualmente, além das terapias tradicionais que podem ajudar na solução de conflitos, há novas abordagens e técnicas que também auxiliam bastante, como a Constelação Sistêmica Familiar, terapia criada pelo alemão Bert Hellinger, onde as questões do conflito são vistas de uma forma sistêmica e energética.
O Coaching Integrativo Sistêmico também pode ajudar bastante, desenvolvendo entre os familiares uma forma diferente de diálogo e tarefas produtivas, incentivando o afeto e a relação amigável entre os componentes da família.
Vale salientar que uma boa forma de manter relacionamentos saudáveis é estar sempre “na presença” quando estiver com as pessoas de sua família.
Estar presente é muito mais do que simplesmente estar perto. É preciso deixar de lado todas as distrações, como celulares, redes sociais e informações paralelas, enquanto estiver com seus familiares.
Estar “na presença” é realmente doar a sua atenção e o seu tempo, de modo que a outra pessoa se sinta abraçada e presenteada por você.
Portanto, da próxima vez que estiver com algum conflito no seu relacionamento familiar, lembre-se que as pessoas que estão ali podem, muitas veze, esta refletindo nossos próprios defeitos e desafios. E que, acertando ou errando em seus relacionamentos, todos têm como base o amor para se fortalecer.