O futuro nos pés das bailarinas

Quem participa do curso não precisa comprar uniforme e nem mesmo sapatilhas, mas precisa comprovar que vai à escola e tem bom desempenho nas notas

Comentar
Compartilhar
24 ABR 201516h44

"Me orgulho muito do que ela faz". A gratidão é da professora de ballet Maria Eduarda Moreira Silva, a tia Duda. A filha de Bel se emociona ao falar da mãe e ao relatar o trabalho que executa desde a adolescência com as crianças do bairro.
 

Crédito: Matheus Tagé / DL


"A minha mãe conseguiu criar três filhas em uma comunidade carente. Nenhuma das três se envolveu com coisa errada. O que a minha mãe faz é dar esperança a essas crianças e fazer com que elas tenham um futuro melhor. Espero ser um espelho, pois se eu consegui, elas também conseguem", disse Duda.
 
As aulas de ballet são ministradas para crianças de todas as idades. Quem participa do curso não precisa comprar uniforme e nem mesmo sapatilhas, mas precisa comprovar que vai à escola e tem bom desempenho nas notas. "Elas participam de festas e concursos. O nosso figurino é feito com restos do carnaval. Se pedimos para os pais comprarem não teremos retorno. Eles não têm condições. Até o custeio de viagens passamos a caneca, pedimos mesmo e conseguimos, graças a Deus", afirmou a bailarina.