As belas e inesquecíveis paisagens de Montreux

Devido a seu clima incrivelmente ameno, Montreux é chamada de 'a capital da Riviera de Vaud'

Comentar
Compartilhar
07 MAI 2017Por Da Reportagem14h50

Talvez você já tenha ouvido falar de Montreux por causa de seu famoso Festival de Jazz que acontece entre os meses de junho e julho. Mas a verdade é que esse paraíso suíço, encravado numa baía protegida pelo Lago de Genebra, rodeado por vinhedos e emoldurada pelo pano de fundo deslumbrante dos Alpes, brancos de neve, no passado foi escolhido como refúgio de Charles Chaplin e Freddie Mercury, e atualmente é visitado por turistas dos quatro cantos do planeta, que querem conferir pessoalmente as belezas e a ordem do local, que diga-se de passagem, é de dar inveja a qualquer um.

Devido a seu clima incrivelmente ameno, Montreux é chamada de "a capital da Riviera de Vaud". Pinheiros, ciprestes e palmeiras dão um toque especial a Montreux. Comece seu passeio com uma caminhada pela Promenade Fleuri, uma passarela de 11 quilômetros que se estende pelo Lago de Genebra.

A extensa calçada, junto ao lago entre a sofisticada cidade de Montreux e a charmosa cidade de Vevey, é considerada a mais bela da Suíça. E os vinhedos em terraços de Lavaux são Patrimônio da UNESCO. O local é totalmente arborizado e ricamente decorado com belas flores; o caminho convidativo leva o visitante até ao Castelo de Chillon. A caminhada do lado de Vevey, no sentido do Castelo de Chillon, é mais calma e mais arborizada, com menos restaurantes e movimento de pessoas. Já mais à frente, onde fica a estátua de Freddie Mercury, é bem mais agitado, com diversos restaurantes e bares.

Muitas das edificações ao longo da estrada à beira do lago, incluindo o magnífico Fairmont Le Montreux Palace, são datadas do auge da Belle Époque. A cidade também conta com um moderno centro de convenções e exposições: o Montreux Music and Convention Centre (2M2C).

Como já foi dito, o destaque cultural fica por conta do Festival de Jazz de Montreux. Desde o início, em 1967, o Festival se tornou um grande evento com apresentação dos maiores músicos de jazz, blues, rock, world music e soul da Suíça. Outro destaque é o Festival de Comédia. Todos os anos, o evento reúne os comediantes mais consagrados de países de língua francesa, alemã e inglesa. Esse Festival acontece em dezembro e, em dezembro também é destaque o Mercado de Natal, com inúmeras atrações e mais de uma centena de casas de madeira ricamente decoradas; tudo recheado com o clima natalino europeu. Um passeio verdadeiramente inesquecível! Você vai se sentir dentro de um conto de fadas!

Pela ferrovia de cremalheira de Rochers-de-Naye, faz-se um passeio emocionante! Ao chegar ao seu destino, a 1.600 metros a paisagem é de tirar o folego. Sendo o local um dos pontos de observação mais bonitos da Suíça ocidental. Tem também o Golden Pass Line, o trem panorâmico que opera entre Montreux, Gstaad e o Oberland Bernês, com conexões para Lucerna.

O Lago Genebra tem 582 quilômetros quadrados e é o segundo maior da Europa, funcionando como fronteira natural entre a França e a Suíça. De alguns pontos do lago, é até possível ver o Mont Blanc, a montanha mais famosa da França, e a mais alta da Europa, por isso, um cenário deslumbrante e nada melhor que explorá-lo com a Companhia de Navegação do Lago de Genebra, com vários navios, (alguns ainda equipados com pás, como vemos nos filmes), fazem o transporte dos visitantes aos pitorescos resorts localizados à beira do lago. Simplesmente imperdível.

E por falar em resorts, prepare seu bolso. Conhecer Montreux não é nada barato. Devido suas belas paisagens, que incluem os famosos Alpes e o belíssimo Lago, resultando desta combinação de montanhas e águas azuis, uma das paisagens mais fenomenais do mundo. Muitos garantem que o paraíso fica por lá!

E claro, terminando nossa viagem, não deixe de conhecer o Castelo de Chillon. Localizado em uma ilha rochosa próxima à costa, com muralhas e torres, merece atenção especial a prisão a que Bonivard foi confinado em correntes por quatro anos e que serviu de inspiração a Lord Byron para escrever seu famoso poema "Os Prisioneiros de Chillon", em 1816. Atualmente, o castelo funciona como museu. Mais de 350 mil pessoas por ano visitam Chillon, com seus murais do Século XIV, cofres subterrâneos, salões de desfile e quartos originais preservados da época dos reis de Berna. As instalações são compostas por 25 edifícios e três fazendas que estão protegidos por duas fortificações.

Sendo a fortaleza mais famosa da Suíça, o Castelo de Chillon é uma das mais belas construções históricas no país e uma das atrações mais visitadas da Europa. Foi construída no Século XIII sobre fundações ainda mais antigas. O castelo está à beira do lago e no sopé de uma colina, sendo atração, portanto, em dobro: uma fortaleza à beira do lago de um lado e uma residência real, do outro.

Já nos primórdios, a ilha rochosa entre o lago de Genebra e as imponentes montanhas era habitada. Posteriormente, e durante séculos, foi nesse local que se controlou o tráfego marítimo no Lago de Genebra e a importante rota terrestre para o Passo de São Bernardo. Do Século XII ao XVI, Chillon pertenceu aos Condes de Saboia. Mais tarde, o castelo foi conquistado pelos berneses e, em seguida, pelos vaudeses.

Montreux é um destino ideal para férias inesquecíveis. É bom lembrar que o francês é a língua oficial naquela região da Suíça, e que nem todo mundo fala inglês! Os brasileiros não precisam de vistos, somente possuir passaporte com validade vigente.  Sendo assim, procure seu agente de viagens e tenha maravilhosas férias nesse pedacinho de paraíso suíço!