X

HABITAÇÃO

Número de famílias despejadas ao longo da pandemia chega a 41 mil no País

O estado de São Paulo é o que registra maior número de ocorrências, onde 7,3 mil famílias foram despejadas e outras 65,6 mil sofreram ameaça de despejo

Joe Silva

Publicado em 16/02/2023 às 17:36

Atualizado em 16/02/2023 às 17:42

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Policiais militares da Tropa de Choque cumprem reintegração de posse da ocupação Colonial, na zona leste da capital paulista (arquivo) / Rovena Rosa/Agência Brasil

O número de famílias que foram despejadas ou que tiveram de abandonar um espaço por ações de reintegração de posse chegou a mais de 41 mil ao longo da pandemia de Covid-19 no Brasil. As informações são do Mapeamento Nacional de Conflitos pela Terra e Moradia, organizado pela campanha Despejo Zero.

O levantamento é feito pela entidade desde o início das políticas de isolamento social e engloba os 26 estados e também o Distrito Federal. A plataforma é alimentada de forma colaborativa e contém informações que foram compiladas até fevereiro deste ano.

O estado de São Paulo é o que registra maior número de ocorrências, onde 7,3 mil famílias foram despejadas e outras 65,6 mil sofreram ameaça de despejo. Em seguida vêm Rio de Janeiro (com 6 mil despejadas e 5,5 ameaçadas) e Amazonas (com 4,8 mil famílias retiradas de suas casas, 32,7 em risco de perder o lar).

Para Raquel Ludermir, gerente de Incidência Polícia da Habitat Brasil, uma das 170 entidades envolvidas com a campanha Despejo Zero, a falta de políticas públicas voltadas para casas populares nos últimos anos intensificou o problema.

"Tem a ver com desmonte de políticas habitacionais, empobrecimento das famílias, queda de renda, custo de vida aumentando, e ao mesmo tempo governo desmontando aparato de programas de moradia de baixa renda. Tem um problema estrutural do Brasil com um desmonte recente", afirma Raquel ao portal g1.

Durante a pandemia, o Supremo Tribunal Federal proibiu que despejos fossem executados no Brasil, mas isso não impediu que famílias perdessem seus lares.

Registros de despejos e ameaças no Brasil, segundo o mapeamento

Estado Famílias despejadas Famílias ameaçadas
SP 7.376 65.600
RJ 6.041 5.513
AM 4.879 32.719
MA 3.583 635
GO 1.833 4.570
CE 1.740 11.285
PR 1.712 5.311
PE 1.535 21.661
DF 1.329 5.584
MT 1.300 1.343
SE 1.263 622
RO 1.170 14.512
BA 870 4.048
RS 734 8.844
PB 723 11.556
MG 704 3.449
RN 652 841
PA 629 5.784
RR 603 200
TO 505 180
AC 482 209
MS 310 2.840
AL 308 770
AP 230 3.550
SC 201 1.269
PI 150 3.845
ES 144 1.241

Fonte: Campanha Despejo Zero

Crianças e idosos

O mapeamento detalhou também o número de despejos que afeta diretamente crianças e idosos. Em todo o País, 177,6 mil crianças foram atingidas pela falta de lar ou o risco de perder moradia. Já entre os idosos, o cenário atingiu 174,5 mil pessoas. 

No detalhamento, o estudo também identificou que 623,2 mil mulheres e 685,5 mil pessoas negras foram vítimas de conflito por terra e moradia, como o Despejo Zero define a situação. 

O mapeamento revelou ainda que os casos de remoção total ou parcial ocorrem principalmente nas regiões Sudeste (mais de 16 mil), Nordeste (mais de 10 mil), Norte (mais de 8 mil), Centro-Oeste (mais de 5 mil) e Sul (mais de 4 mil).

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Cotidiano

Confira o resultado do Timemania no concurso 2094, neste sábado (18)

O prêmio é de R$ 2.200.000,00

Cotidiano

Confira o resultado da Quina no concurso 6444, neste sábado (18)

O prêmio é de R$ 20.500.000,00

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter