X

Mundo

Quer morar ou investir em Portugal? Saiba como obter o Golden Visa para ter livre acesso ao País

Advogados explicam o processo para requerer o visto e quais cuidados devem ser tomados para evitar golpes

Da Reportagem

Publicado em 06/05/2022 às 12:37

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Golden Visa também é conhecido como Autorização de Residência para Atividade de Investimento (ARI) / Divulgação

Mais de 209 mil brasileiros estão morando legalmente em Portugal, de acordo com dados do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF). Uma das opções para quem deseja morar ou somente investir no País europeu é o Golden Visa. Desde o início do programa, em 2012, já foram concedidos mais de 10 mil vistos, e o Brasil é o segundo País que mais solicita o documento, atrás apenas da China, Turquia, África do Sul e Rússia. Apesar de algumas mudanças significativas que entraram em vigor em 2022, o Golden Visa Portugal ainda é uma boa alternativa para quem deseja ter livre acesso à terrinha.

De acordo com o advogado especialista em Direito Internacional, Rui Badaró, owner do escritório Badaró & De Luca Sociedade de Advogados, o Golden Visa também é conhecido como Autorização de Residência para Atividade de Investimento (ARI). “O regime especial de ARI permite que cidadãos nacionais de Estados Terceiros possam obter uma autorização de residência temporária para atividades de investimento, com a dispensa de visto de residência para entrar em território nacional”, explica.

Entre os benefícios, o cidadão poderá residir e/ou trabalhar em Portugal mesmo que mantenha residência noutro País, desde que comprove que esteve em solo português por sete dias durante o primeiro ano de emissão do documento e por 14 dias durante cada um dos anos subsequentes.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

Além disso, ele permite incluir outros membros da família e torna o cidadão elegível para requerer residência permanente (ao fim dos cincos anos e nos termos da legislação em vigor) ou nacionalidade portuguesa (ao fim de seis anos e nos termos da legislação em vigor). Qualquer pessoa que exerça atividade de investimento, pode requerer o Golden Vista, desde que transfira capitais ou compre imóveis, por exemplo.

“O processo para investir no Fundo e se qualificar para o Golden Visa consiste em: o primeiro passo é decidir no que quer investir e nomear um consultor jurídico. É necessário abrir uma conta bancária pessoal em Portugal e assinar todos os documentos do Fundo. Após a aprovação, o interessado transfere o dinheiro de sua conta pessoal para a conta do Fundo. Com isso, inicia-se o processo do Golden Visa”, explica Badaró. Os investimentos precisam ser mantidos em Portugal por, pelo menos, cinco anos a partir da data de concessão do documento para ser validado.

Cuidado com os golpes

É importante que o cidadão pesquise bem sobre o seu consultor para não cair em golpes. Como foi o caso do queniano Kujleet Prithipal Chadda Singh, que queria investir e viver com sua família em Portugal. Para solicitar o Golden Visa, ele comprou dois imóveis, em 2018. Um deles tinha uma hipoteca que o vendedor não lhe contou e que, ao fazer a escritura, foi assumida automaticamente. Com a dívida, ele perdeu o direito do visto e pode até perder a casa. E este não é um caso isolado.

De acordo com João Massano, advogado e Presidente do Conselho Regional de Lisboa da Ordem dos Advogados de Portugal, casos parecidos com o de Kuljeet são muito comuns. "Muitos investidores adquiriram imóveis sem vê-los ou só com visitas pela internet. E os valores cobrados a quem pretendia obter um Golden Visa eram, muitas vezes, superiores. Já acompanhei diversos pretendentes que descobriram, já depois de comprar, que os vizinhos tinham pago valores bastante inferiores. Alguns até queriam voltar atrás, mas tendo o contrato assinado, já não havia nada a fazer”, explica Massano.

Como solicitar o Golden Visa

O pedido de concessão do Golden Visa/ARI deve ser feito de forma online no site do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras. O requerente deve ser representado por um advogado. Depois, é necessário preencher o formulário, designando o tipo de investimento a realizar, e enviar os documentos, bem como o comprovativo de pagamento da taxa de análise. O prazo para avaliação é de 72 horas. Caso o pedido de concessão de ARI seja deferido, o investidor deve pagar uma taxa de 5.135,50 euros.

Apoie o Diário do Litoral
A sua ajuda é fundamental para nós do Diário do Litoral. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós do Diário do Litoral temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para o Diário do Litoral continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Nacional

Nunes lidera corrida eleitoral em SP, seguido por Boulos e Tabata

Atual prefeito tem 26% das intenções de voto do eleitorado paulistano; Boulos aparece com 17%, seguido por Tabata, com 10%

Esportes

Santos chega a acordo e transfer ban acaba

O alvinegro agora pode inscrever jogadores na Série B

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter