Moscou vai iniciar vacinação contra Covid-19 no sábado, afirma prefeitura

Sputnik V tem eficácia ‘acima de 95%’ 21 dias após a aplicação da segunda fase, segundo cientistas

Comentar
Compartilhar
03 DEZ 2020Por Gazeta de S. Paulo19h40
De quarta para quinta-feira, foram registradas 28.145 infecções. Destas, 7.750 foram confirmadas em MoscouFoto: Moscow Government

A cidade de Moscou, capital da Rússia, deve começar a vacinar professores, médicos e assistentes sociais com o Sputnik V, imunizante contra Covid-19, no próximo sábado (5). O anúncio foi feito nesta quinta-feira pela prefeitura da cidade.

O cadastro para receber a vacina será feito on-line a partir desta sexta-feira (4), segundo a agência de notícias “Reuters”.

Na quarta-feira (2), o presidente russo, Vladimir Putin, determinou que um programa de vacinação voluntária em grande escala deveria ter início na próxima semana. Em agosto, ao autorizar a Sputnik V, o país se tornou o primeiro a aprovar uma vacina contra Covid-19. Em outubro, a Rússia aprovou sua segunda vacina.

Os anúncios do início da aplicação em massa estão sendo feitos desde agosto, mas nada ocorreu ainda. De acordo com a agência de notícias estatal “Tass”, as doses entregues até agora no país são destinadas a grupos de risco.

Em novembro, o laboratório que desenvolveu e produz a vacina, o Instituto Gamaleya, disse que a vacinação em massa poderia começar entre janeiro e fevereiro de 2021.

Eficácia

Os cientistas que desenvolveram a Sputnik V anunciaram na semana passada que a vacina teve eficácia “acima de 95%” 21 dias após a aplicação da segunda fase. Contudo, os resultados ainda não foram publicados em revista científica.

O governo do Paraná firmou uma parceria com o governo russo para a produção da Sputnik V em solo brasileiro. Em outubro, o fundo russo que financia o desenvolvimento da vacina informou que o Brasil poderia começar a produzi-la neste mês.