Prefeito diz que acidente de navio retoma debate e apoia túnel submerso entre Santos e Guarujá

Valter Suman afirma que é a favor da construção e diz temer aumento do número de acidentes de embarcações na Região

Comentar
Compartilhar
21 JUN 2021Por Da Reportagem11h25
Suman afirma alívio por acidente não ter deixado vítimas e afirma defender túnel submersoSuman afirma alívio por acidente não ter deixado vítimas e afirma defender túnel submersoFoto: Nair Bueno / Diário do Litoral

O prefeito de Guarujá afirma que o acidente entre embarcações ocorrido neste domingo (20) na área de um píer utilizado por ciclistas para realizar a travessia Santos-Guarujá dá mais força para a volta do debate de uma nova forma de ligação seca entre ambos os municípios. Segundo Valter Suman, o túnel submerso seria a melhor solução para os moradores.

Segundo apuração da reportagem do Diário do Litoral, o navio da HAMBURG SUD colidiu contra uma balsa de carros que estava atracada no lado do Guarujá, na travessia com Santos, por volta das 13h30 deste domingo. A embarcação saiu arrastando não apenas a balsa, como o bicicletário e também arrebentou parte da estrutura de concreto do atracadouro.

Apesar da preocupação que as primeiras horas desta segunda-feira (21) seriam de caos na travessia de automóveis e motocicletas, a rotina dos motoristas ficou praticamente inalterada e o tempo de espera nas balsas não superou a marca de 35 minutos durante toda a manhã, segundo dados do portal do Departamento Hidroviário.

‘Primeira [preocupação] é a questão da mobilidade. Nós estamos testemunhando um acidente na maior travessia de navegação do mundo. Cerca de 30.000 veículos, entre carros, caminhões, motos e bicicletas fazem a travessia Santos/Guarujá, Guarujá/Santos”, afirma Valter Suman, prefeito de Guarujá.

“Da nossa parte, da Prefeitura Municipal do Guarujá, através da Secretaria da Segurança, Defesa Civil, da nossa Guarda Civil Municipal Metropolitana, nós estamos dando apoio e suporte para que haja menos transtorno possível nessa travessia”, prosseguiu.

 

O chefe do Executivo guarujaense afirmou que deverá se encontrar com autoridades estaduais ainda durante esta segunda-feira para tratar sobre o assunto e buscar apoio para resolver a situação do píer destruído, que prejudicou, especialmente, a rotina dos ciclistas.

“Estamos fazendo essa vistoria. Ontem (20) foi amplamente filmado e divulgado esse acidente. Já encaminhei mensagem até o Marco Vinholi, secretário de desenvolvimento regional, e ontem mesmo ele mandou uma mensagem bastante preocupado. Ainda há pouco retornei as mensagens com fotografias e tenho certeza que hoje à tarde ainda estarei no Palácio dos Bandeirantes durante um evento e aproveitarei essa oportunidade para ver quais são as diretrizes. Por hora a gente precisa saber, óbvio, a apuração de responsabilidades, portanto, p Departamento Hidroviário, Prefeitura e Capitania dos Portos farão o diagnóstico do que aconteceu. Lamentavelmente já sei que em dez anos são quatro acidentes envolvendo navios de grande porte”, afirma.

Por fim, durante conversa com a imprensa, Suman destacou que o incidente deve reacender o debate entre túnel submerso e ponte para ligar Santos a Guarujá, o que se trata, segundo ele, de um debate histórico que pode estar chegando a uma conclusão.

“A grande discussão é: túnel submerso ou ponte. Nós queremos que seja a melhor decisão possível para minimizar esse impacto do lado do Guarujá, e claro, em Santos também, e a gente sabe que uma travessia por ponte, num determinado local, não impactaria positivamente e aí eu acho que essa discussão precisa ser reavaliada avaliada para minimizar os transtornos. São quatro acidentes num período aí de 5 a 10 anos, salvo engano, e é um debate já histórico. Eu acho que uma decisão tem que ser tomada. Já está saturado esse sistema de travessia e graças a Deus, o mais importante, é que dessa vez não houve vítimas. Foram só danos materiais estruturais consideráveis e a nossa grande reivindicação é para que haja a maior agilidade possível na tomada de uma decisão e que se realize num tempo em que engenharia possa concluir. Eu tenho defendido essa situação desde que fui consultado e sabemos que existem algumas divergências, mas a que minimizaria substancialmente nossa travessia do lado de Guarujá, ainda mais porque nós recebemos cada vez mais pessoas que vêm morar aqui, a melhor saída seria o túnel submerso”, conclui.