X

Guarujá

Investigações sobre desvios de verbas contra Suman são suspensas pelo STJ

O prefeito de Guarujá e o secretário de Educação, Marcelo Nicolau, chegaram a ser presos na Operação Nácar, em 2021

Da Reportagem

Publicado em 27/02/2024 às 17:10

Atualizado em 27/02/2024 às 20:43

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

O processo de apuração pode ser reaberto caso surjam novas provas / Divulgação/PMG

Siga as notícias do Diário do Litoral no Google Notícias

As investigações que estavam em andamento na Operação Nácar, da Polícia Federal (PF), que apurou possíveis desvios de recursos públicos e crimes de corrupção na Prefeitura de Guarujá, foram suspensas pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). O processo de apuração pode ser reaberto caso surjam novas provas.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

O prefeito de Guarujá, Válter Suman (PSDB), e o secretário de Educação, Marcelo Nicolau, chegaram a ser presos na Operação Nácar, deflagrada em 2021, para apurar e combater um esquema de desvio de dinheiro na Saúde e Educação de Guarujá.

O pedido da defesa do prefeito Suman para a suspensão do inquérito na segunda-feira (26) foi acolhido pelo ministro Reynaldo Soares da Fonseca. Há um ano, a mesma reivindicação já tinha sido feita pela advogada do secretário de Educação, Marcelo Nicolau.

A decisão pela suspensão das investigações levou em consideração o excesso de prazo na formação da culpa e oferecimento da denúncia pelo MPF.

Em nota, o prefeito Valter Suman comemorou a decisão. "Como médico e servidor público de carreira há mais de 30 anos, e à frente do Executivo Municipal desde janeiro de 2017, sempre pautei meus atos, como gestor, pelo respeito à administração pública, com ética, proatividade e transparência. Reeleito com a maior votação da história da Cidade em 2020 (112.672 votos, o equivalente a 75,6% do eleitorado), tive toda a minha trajetória de vida enxovalhada publicamente, com base em  acusações inconsistentes da Operação Nácar", afirmou Suman. "O trancamento do inquérito, após quase dois anos e seis meses dessas investigações e acusações inconscientes, ordenado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), demonstra claramente a injustiça sofrida em nossa gestão e vida particular. Seguimos de cabeça erguida, trabalhando e defendendo que o trabalho foi, é, e sempre será a melhor resposta. Reafirmamos o nosso compromisso com o crescimento de Guarujá, confiando na Justiça, como aconteceu até aqui."

 

Apoie o Diário do Litoral
A sua ajuda é fundamental para nós do Diário do Litoral. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós do Diário do Litoral temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para o Diário do Litoral continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Cotidiano

Sabesp interrompe abastecimento de água em bairros de São Vicente

Serviços podem interferir no fornecimento nesta semana e na próxima

RODOVIAS

Consórcio Litoral Paulista vence leilão de concessão do Lote Paulista

Evento aconteceu na manhã desta terça-feira (16)

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter