Denúncias de moradores levam Prefeitura de Guarujá a realizar blitz em travessia

Imagens mostrando casos de aglomerações chegaram às autoridades por meio das redes sociais

Comentar
Compartilhar
28 AGO 2020Por LG Rodrigues14h15
Funcionários verificaram parte interna de embarcações e áreas de embarque e desembarqueFoto: Divulgação / Prefeitura Municipal de Guarujá

Denúncias de moradores por meio da internet levaram a Prefeitura de Guarujá a realizar uma blitz na travessia Santos-Vicente de Carvalho para coibir aglomerações durante a manhã desta sexta-feira (28). Segundo as autoridades, nenhuma multa foi aplicada neste primeiro momento, embora as equipes da administração municipal tenham verificado falta de álcool gel em determinados pontos.

As primeiras reclamações por parte da população foram efetuadas por meio das redes sociais tanto da Prefeitura de Guarujá quanto pela página particular do prefeito Valter Sumán. De posse de imagens e depoimentos de usuários das embarcações que realizam as travessias entre o distrito de Vicente de Carvalho e Santos, uma força-tarefa foi montada e enviada para vistoriar os ambientes de embarque e desembarque.

Apesar de não terem aplicado nenhuma multa neste primeiro momento, funcionários da vigilância sanitária do município não encontraram álcool gel à disposição dos passageiros na área dedicada aos ciclistas e tampouco no salão de entrada. Após ter efetuado uma cientificação à Dersa (Desenvolvimento Rodoviário), a Prefeitura afirmou que penalidades poderão ser aplicadas a partir deste sábado (29) e em valores que podem partir de R$ 1 mil a até R$ 300 mil. Tudo dependerá da gravidade da infração encontrada pelas autoridades.

A Prefeitura de Guarujá reforça a informação de que as embarcações podem ter, ao máximo, 50% de sua ocupação. A medida tem como objetivo permitir que os passageiros respeitem a distância mínima de 1.5 metros entre cada um para evitar uma contaminação pelo novo coronavírus.