Zagueiro põe decepção com Pato entre motivos para semestre ruim

De qualquer maneira, Paulo André pediu uma reação rápida do colega. “Precisamos dele. O Guerrero está machucado, não temos o camisa 9. E o Pato é mundialmente conhecido por fazer gols"

Comentar
Compartilhar
30 OUT 201314h08

Se discorda das opiniões mais críticas em relação à temporada do Corinthians como um todo, Paulo André não nega o segundo semestre ruim. O zagueiro listou os motivos pelos maus resultados no Campeonato Brasileiro e na Copa do Brasil, colocando entre eles o desempenho decepcionante do atacante Alexandre Pato.

“O Pato era um grande reforço...”, afirmou o beque, pausando para reformular o raciocínio e citar a média de gols do camisa 7, que colocou 16 bolas na rede em 52 partidas em preto e branco. “Quando jogou, acho que foi quem mais fez gol, mas se esperava publicamente mais dele.”

A atuação do reforço de R$ 40 milhões não foi o único item mencionado por Paulo André. A análise teve os problemas seguidos de lesão do elenco, a saída dos campeões mundiais Jorge Henrique, Paulinho e Chicão, as tentativas frustradas de ajuste tático feitas por Tite e uma queda natural após dois anos de conquistas importantes.

Especificamente em relação a Pato, o zagueiro procurou não colocar nas costas do atacante a eliminação da Copa do Brasil, apesar do que chamou de “pênalti que talvez não tenha sido o ideal”. No momento da cavadinha desastrosa que colocou o Grêmio nas semifinais, o camisa 13 foi um dos que não esconderam a irritação, deixando a roda de jogadores gesticulando bastante.

 O zagueiro listou os motivos pelos maus resultados no Campeonato Brasileiro e na Copa do Brasil, colocando entre eles o desempenho decepcionante do atacante Alexandre Pato (Foto: Agência Corinthians)

De qualquer maneira, Paulo André pediu uma reação rápida do colega. “Precisamos dele. O Guerrero está machucado, não temos o camisa 9. E o Pato é mundialmente conhecido por fazer gols e resolver problemas. Como diretor, eu o manteria aqui porque custou caro e precisa dar retorno. Ele precisa de confiança para retomar o caminho.”