Sem guerra, Palmeiras leva gol no fim e perde para Tigre

Com um jogador a menos no fim, depois da expulsão de Vilson, o Verdão desperdiçou chance incrível com Kleber e foi castigado

Comentar
Compartilhar
06 MAR 201321h50

No reencontro do Tigre com um clube brasileiro, o Palmeiras não encontrou um clima de guerra no estádio Monumental Victoria, em San Fernando, mas perdeu por 1 a 0, com um gol nos acréscimos, pelo grupo 2 da Copa Libertadores da América.

Com um jogador a menos no fim, depois da expulsão de Vilson, o Verdão desperdiçou chance incrível com Kleber e foi castigado. Peñalba recebeu atrás da zaga na área e mandou para as redes.

O jogo teve poucos lances ríspidos, como um carrinho sofrido por Valdivia, mas o Verdão só conseguiu pressionar no fim do jogo, o que não foi suficiente. O Verdão segue com três pontos, mesmo número agora do Tigre, que voltou a enfrentar um time brasileiro depois de ter brigado com o São Paulo na Copa Sul-americana do ano passado.

As duas equipes voltam a se enfrentar na próxima rodada da Copa Libertadores, no dia 2 de abril, no Pacaembu.

O atacante Kleber perdeu uma chance de gol incrível (Foto: Victor R. Caivano/Associated Press)

O jogo

O técnico Gilson Kleina reiterou durante a preparação da equipe a necessidade de ter ‘espírito’ de Libertadores em jogos do torneio, mas o que o Verdão exibiu no começo da partida foi dificuldade técnica. A boa notícia para os brasileiros era o baixo nível do adversário.

Escalado na armação das jogadas, Valdivia errou um passe no meio-campo logo no começo e permitiu um contragolpe do Tigre pela esquerda, que terminou em finalização cruzada de Rusculleda, para fora. Nas jogadas seguintes, o time argentino mandou a bola pelo alto, e Fernando Prass afastou na primeira vez. Pouco depois, Paparatto cabeceou para fora.

O Verdão só arriscou na frente aos 14 minutos, quando Vinícius bateu rasteiro de fora da área, facilitando o trabalho do goleiro. Na jogada seguinte, Weldinho trabalhou individualmente até cruzar para Kleber bater e carimbar a zaga. O atacante pediu toque de mão do adversário, mas o árbitro considerou o lance normal.

Na tentativa de emplacar mais uma jogada na frente, Valdivia voltou a errar um passe perigoso no meio-campo e abriu espaço para a resposta do Tigre. Botta aproveitou e chutou forte, obrigando o goleiro palmeirense a defender. As falhas da equipe tiravam a paciência de Gilson Kleina à beira do gramado.

O time anfitrião seguiu ligeiramente melhor e levou perigo real aos 30 minutos. Depois de cobrança de escanteio, Orban desviou no meio da área, e Echeverría chegou de frente para Prass, mas o goleiro foi mais rápido e chutou em cima do marcador. A bola espirrou no adversário e saiu pela linha de fundo.

Valdivia tentou chamar o jogo, arriscando lançamentos, mas sem conseguir levar o time à frente. Com o adversário sem alternativas ofensivas, o Verdão assumiu o domínio do jogo nos cinco minutos finais da etapa. Aos 40, Wesley bateu falta da esquerda e exigiu boa defesa do goleiro, que mandou para fora.

Na cobrança do escanteio, Kleber mandou para fora. Antes do apito do árbitro, Wesley ainda tentou fazer um gol olímpico e deu trabalho ao goleiro adversário. As duas equipes não passaram por alterações no intervalo, mas o Palmeiras voltou com mais presença na frente.

Mesmo assim, o time brasileiro só ameaçou em cabeçada de Kleber, que passou ao lado do gol. Em pouco tempo, o jogo voltou ao equilíbrio, com poucas jogadas de emoção dos dois lados. Assim, aos 13 minutos, o técnico Néstor Gorosito fez duas mudanças, tirando Santander e Garcia para as entradas de Leguizamón e Lucas Janson.

Do outro lado, Kleina substituiu Vinícius por Maikon Leite. Depois das alterações, o jogo esquentou. Valdivia levou um carrinho no meio-campo e ficou caído, mas o árbitro considerou a jogada normal. Na jogada seguinte, Weldinho sofreu com a força excessiva dos argentinos. Mas os lances mais ríspidos deram espaço a uma oportunidade de perigo dos donos da casa, em chute de Leguizamón que passou perto da meta de Prass.

Como os dois times seguiram sem força ofensiva, os dois treinadores fizeram mudanças. Torassa entrou no lugar de Rusculleda no time argentino, enquanto Patrick Vieira assumiu a vaga de Wesley no Verdão. A alteração surtiu efeito rapidamente na equipe de Kleina.

Depois de boa jogada, Valdivia tocou para Patrick Vieira, que chutou forte da meia-direita e deu trabalho ao goleiro. A má notícia foi a lesão de Maikon Leite, que reclamou de dores depois de ser travado por um carrinho. Kleina tirou o atacante e colocou o volante Charles.

O meio-campista quase marcou gol com chute de fora da área, que passou perto da trave. Logo depois, Kleber recebeu lançamento com liberdade e driblou um marcador na área. Em vez de chutar, o atacante tentou ludibriar o mesmo defensor de novo e perdeu a bola. No último lance do jogo, Peñalba aproveitou atrás da zaga e mandou para as redes.