Santistas exaltam empenho com um a menos e confiam na força da Vila

O cartão vermelho para o jovem defensor Paulo Ricardo santista forçou o Peixe a mudar sua postura na partida

Comentar
Compartilhar
26 ABR 201519h47

O Santos chegou para a primeira final do Campeonato Paulista, contra o Palmeiras, disposto a conquistar um resultado que deixasse a briga pelo título aberta no segundo jogo, domingo que vem, na Vila Belmiro. E, na opinião dos jogadores, o objetivo foi alcançado e, de certa forma, a derrota por 1 a 0 foi até comemorada em função do Peixe ter atuado boa parte do segundo tempo com um jogador a menos e ainda ter contado com a ‘colaboração’ de Dudu, que desperdiçou um pênalti. 

“Um jogo duro para todos os companheiros, o time estava muito bem postado. Tomamos um gol no único erro que cometemos e parece que estava impedido e, obviamente, com um a menos, todo mundo se desdobrou e teve que dar um pouco mais. Saímos daqui de cabeça erguida e agora, na nossa casa, com o apoio da nossa torcida, vamos lutar para sermos campeões”, disse Renato.

“Está ótimo, a vitória infelizmente não veio, mas agora tem jogo na Vila, lá a gente é muito forte e vai ganhar”, afirmou Jubal, zagueiro que entrou na vaga de Vitor Ferraz logo após Paulo Ricardo ter sido expulso. “Eu estou pronto, estou sem jogar há um tempo, mas, se precisar, vou entrar e dar conta do recado”, avisou. 

O cartão vermelho para o jovem defensor santista forçou o Peixe a mudar sua postura na partida. Mas o time já estava preparado para uma adversidade dessa magnitude na decisão, explicou Geuvânio.

Paulo Ricardo é expulso (Foto: Levi Bianco)

“É difícil, mas a gente se preparou para isso também, quando se trata de uma final a gente tem que se preparar, infelizmente teve a expulsão, queira ou não, prejudica um pouco, você deixa de fazer o que tinha que fazer, de jogar para marcar. Agora é descansar para o segundo jogo, concertar o que tem para concertar e fazer um grande jogo”, disse o Caveirinha. 

“Resistimos, sabíamos que se tomássemos o segundo gol seria muito difícil. Estamos de parabéns, temos um jogo em casa, sabemos da nossa força”, analisou Lucas Lima, meia que não vê a vantagem de um gol dos palmeirenses como um fator tão preocupante. “Eles têm a vantagem de um gol, mas a gente sabe que tem todas as condições de tirar”, resumiu. 

Já o goleiro Vladimir, na saída de campo, evitou comemorar a derrota no Palestra Itália e adotou um discurso um pouco diferente.

“Perder nunca é um bom resultado, pelas circunstâncias do jogo, pode se dizer que sim, mas perder nunca é um bom resultado”, opinou o goleiro.

Elano, que atuou neste domingo, mas é um dos líderes do time da Vila Belmiro, entendeu que o placar de 1 a 0 para o Verdão realmente saiu barato para o Peixe. 

“Segunda derrota na temporada, mas, pelas circunstâncias, o Santos poderia sair com o resultado pior daqui”, disse, antes de também convocar o torcedor. “A gente tem que respeitar o time do Palmeiras, mas vamos jogar na nossa casa, onde temos força. Temos que fazer nos favorecer a Vila Belmiro”, concluiu.