Rondinelly ouve Luxemburgo e agradece por rejeição na Libertadores

A rejeição hoje é vista como sorte pelo reforço, que topou jogar no Verdão até seguindo conselho de Vanderlei Luxemburgo

Comentar
Compartilhar
20 FEV 201321h21

Diferentemente até do que o Palmeiras imaginava, Rondinelly tem condições de jogar a Libertadores caso o time avance para as oitavas de final. A possibilidade existe porque o meia não foi inscrito pelo Grêmio no torneio. Rejeição que hoje é vista como sorte pelo reforço, que topou jogar no Verdão até seguindo conselho de Vanderlei Luxemburgo, técnico do clube gaúcho.

“O Vanderlei falou muito bem do Palmeiras, disse que era um grande clube e para eu vir motivado”, relatou o jogador ao ser apresentado nesta quarta-feira. O novo camisa 37 da equipe de Gilson Kleina abre um sorriso ao comentar a ausência que, até poucas semanas atrás, era motivo de tristeza.

“Chegaram muitos atacantes e alguns machucados foram inscritos, mas as coisas aconteceram para mim de uma forma muito boa. Graças a Deus não fui inscrito pelo Grêmio. O Palmeiras vai passar da primeira fase e vou jogar a segunda fazer vestindo essa camisa. Se tiver que enfrentar, que venha o Grêmio”, falou Rondinelly.

Sua ausência dos confrontos com a LDU, que valeram a vaga gremista na fase de grupos da Libertadores, não era conhecida pela diretoria palmeirense. Ao anunciar a saída de Barcos, o diretor executivo José Carlos Brunoro dizia que Vilson era o único do quinteto colocado à disposição pelos gaúchos que poderia atuar pela competição continental.

Meia diz que foi bem no único ano em que esteve no Grêmio, mas aceitou sugestão de Luxa e acertou com Verdão (Foto: Divulgação)

A desinformação pode ser vista também como uma confiança  no futebol de Rondinelly. O próprio atleta, revelado pelo Vila Nova-GO, acredita que agradou na única temporada em que atuou pelo Grêmio, em 2013 – ele está emprestado ao Palmeiras até dezembro, com prioridade ao Verdão para sua aquisição em definitivo e, se for vendido para outro clube, os paulistas ainda ficarão com 15% do valor da negociação.

“Tive uma boa passagem pelo Grêmio. Cheguei vestindo a camisa e jogando, tendo boas participações quando solicitado. Era um grupo com grandes nomes como Zé Roberto e Elano e me mantive lá, sendo uma das opções do Vanderlei. Mas neste ano, com grandes reforços, eu iria perder espaço”, admitiu Rondinelly, de 22 anos.