Neymar diz estar recuperado e descarta abalo emocional no grupo

O craque também garantiu que os jogadores da seleção brasileira estão equilibrados emocionalmente e que isso não será problema

Comentar
Compartilhar
02 JUL 201417h51

O atacante Neymar revelou no início da tarde desta quarta-feira que está totalmente recuperado das pancadas que recebeu no jogo com o Chile, no último sábado, e pronto para dar o máximo diante da Colômbia, nesta sexta, em Fortaleza, pelas quartas de final da Copa do Mundo. O craque também garantiu que os jogadores da seleção brasileira estão equilibrados emocionalmente e que isso não será problema na partida a ser disputada no Castelão.

"Eu estou bem, recuperado. Não sinto dor", disse Neymar, que saiu do campo após o jogo com os chilenos mancando, consequência das pancadas recebidas no joelho direito e na coxa esquerda. Ele passou os últimos dias fazendo tratamento intensivo - foi, inclusive, atendido por seu fisioterapeuta particular durante a folga de domingo -, mas treinou normalmente na manhã desta quarta-feira, na Granja Comary, em Teresópolis (RJ).

Em relação ao aspecto emocional, Neymar afirmou que não somente ele como todos seus companheiros estão bem. "Acho que ninguém está com problema, está todo mundo bem. O jogo com o Chile teve muita emoção, cada jogador tem sua forma de sentir, se emocionar Mas estamos todos bem, preparados para enfrentar a Colômbia e passar de fase", assegurou.

Segundo Neymar, sua forma de lidar com a pressão é encarar todos os jogos como duelos contra amigos no quintal da sua casa. "Eu me cobro muito, porque quero ganhar. Mas falo que precisamos jogar como se fosse contra um amigo no quintal de casa. Quando você joga contra um amigo, não quer perder, porque ele vai te zoar. Eu pensei assim contra o Chile. Não podia perder porque o Alexis (Sánchez, seu companheiro no Barcelona) ia me zoar. Agora eu que vou zoar. É mais ou menos assim. A gente carrega um peso, mas eu também tento levar em tom de brincadeira", explicou.

Neymar está totalmente recuperado das pancadas que recebeu no jogo com o Chile (Foto: Agência Brasil)

Ele reconheceu que a pressão de jogar a Copa em casa é grande, mas também classificou a situação como um sonho de infância, citando até o episódio do Mundial de 2002, quando Ronaldo adotou o corte de cabelo no estilo Cascão e foi decisivo para a conquista brasileira. E, tentando tirar a pressão dos seus ombros, destacou a alegria de atuar próximo aos amigos e familiares neste Mundial. "Tenho que tirar de letra isso. Estamos no quintal de casa, com a torcida brasileira, a minha família e os amigos."

Neymar também defendeu a presença na psicóloga Regina Brandão na Granja Comary. A profissional foi chamada de novo a Teresópolis para "trabalhar a cabeça" dos jogadores brasileiros, visando tentar dar a eles o equilíbrio necessário para a disputa desta reta final da Copa.

"Eu nunca tinha feito nada nesse sentido e até estou gostando bastante. Não só no esporte, no futebol, nós temos de recorrer à psicologia", disse o atacante, que, em seguida, aconselhou os jornalistas presentes na entrevista coletiva realizada nesta quarta-feira na Granja Comary. "Vocês devem procurar fazer (terapia), porque faz bem para a vida."

O badalado craque de apenas 22 anos ainda deixou aberta a possibilidade de dar sequência à terapia fora da seleção brasileira. "Estou aprendendo muita coisa e espero continuar fazendo", avisou Neymar.