Guerrero é hostilizado por torcedores em aeroporto no Rio

Cinco corintianos foram ao local cobrar o time pelo mau desempenho nos últimos jogos e principalmente o centroavante, que foi chamado de "mercenário"

Comentar
Compartilhar
25 MAI 201514h04

A não renovação do contrato e o gol perdido contra o Fluminense neste domingo pelo Campeonato Brasileiro fez com que parte da torcida do Corinthians perdesse a paciência com Paolo Guerrero. Após o jogo no Maracanã, que terminou empatado em 0 a 0, o peruano foi hostilizado por alguns corintianos no Aeroporto Santos Dumont, no Rio, no embarque do elenco para a viagem de volta a São Paulo.

De acordo com informações da Rádio Globo, cinco corintianos foram ao local cobrar o time pelo mau desempenho nos últimos jogos e principalmente o centroavante, que foi chamado de "mercenário", pedindo também para o jogador deixar o clube. A situação não passou de agressões verbais, já que a segurança do Corinthians interveio para acalmar os ânimos dos torcedores exaltados.

A não renovação do contrato e o gol perdido contra o Fluminense fez com que parte da torcida perdesse a paciência com Paolo Guerrero (Foto: Rodrigo Gazzanel/Futura Press)

Após desembarcar em São Paulo ainda na noite deste domingo, o elenco do Corinthians folga na segunda e volta aos treinos na terça-feira, no CT Joaquim Grava, iniciando a preparação para o clássico com o Palmeiras.

A confusão tem relação com o fato da negociação entre Guerrero e Corinthians pela renovação do contrato ter se arrastado por mais de meses sem um final feliz para o clube paulista. O pedido de R$ 18 milhões de luvas, mais salários de R$ 500 mil, foi considerado alto pela diretoria e o acordo, válido até 15 de julho deste ano, vai encerrar o "casamento" entre atacante e time.

O último jogo de Guerrero com a camisa do Corinthians deve ser o clássico contra o Palmeiras no próximo domingo, no Itaquerão. Após a partida, o jogador vai se apresentar ao técnico da seleção do Peru, Ricardo Gareca, para disputar a Copa América, que ocorrerá no Chile a partir do dia 11 de junho.