Flamengo bate lento Corinthians e escapa do risco de rebaixamento

Sem qualquer risco ou aspiração, com 49, a formação do Parque São Jorge segue ansiosa para as férias, em uma má temporada de despedida ao técnico Tite

Comentar
Compartilhar
24 NOV 201319h22

Mesmo três dias antes da final da Copa do Brasil, o Flamengo enfrentou o Corinthians com titulares para evitar qualquer risco de rebaixamento no Campeonato Brasileiro e cumpriu o objetivo. No Maracanã, diante de um adversário lento, a equipe rubro-negra levou a melhor por 1 a 0, gol marcado por Paulinho.

Com 48 pontos, o time dirigido por Jayme de Almeida poderá disputar o troféu na próxima quarta, contra o Atlético-PR, livre de preocupações com a tabela do Brasileiro. Sem qualquer risco ou aspiração, com 49, a formação do Parque São Jorge segue ansiosa para as férias, em uma má temporada de despedida ao técnico Tite.

Os visitantes tiveram mais a posse de bola no primeiro tempo, mas não chegaram a criar grandes oportunidades. Bastou um chute forte de Paulinho, que não era indefensável para Walter, para o suposto volume maior alvinegro ser colocado por terra no Rio de Janeiro.

Na etapa final, houve menos equilíbrio e uma superioridade mais clara do Flamengo. Nem posse de bola teve o Corinthians, algo não resolvido com as entradas de Douglas e Alexandre Pato. Na próxima semana, os jogadores esperam fazer um papel melhor na despedida de Tite da Fiel no Pacaembu.

Na próxima semana, os jogadores esperam fazer um papel melhor na despedida de Tite da Fiel no Pacaembu (Foto: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians)

O jogo

O Corinthians começou a partida com muito mais posse de bola. Com participação constante de Renato Augusto, Emerson e Romarinho, a equipe trocava passes pacientemente à espera do espaço e rondava a área do Flamengo, mas não conseguia criar grandes oportunidades de finalização.

O maior volume alvinegro não resistiu a uma jogada de Paulinho, que cortou Guilherme e bateu forte de fora da área, aos 18 minutos. Walter chegou a tocar na bola, mas não impediu que ela entrasse no alto, em seu canto direito.

Não mudou consideravelmente o cenário do jogo, embora, a partir daí, tenha havido um equilíbrio maior. Se seguiu com alguma dificuldade para frear as triangulações do adversário, que renderam finalizações de Emerson e Romarinho, o Flamengo passou a ser mais perigoso.

Carlos Eduardo chegou a acertar a forquilha de Walter antes que o jogo se tornasse mais tenso, com algumas faltas mais duras. Em uma delas, Elias acertou o cotovelo no rosto de Guilherme, que, sangrando muito, foi substituído por Diego Macedo ainda no primeiro tempo.

Com Macedo na lateral direita, Edenílson foi para o meio de campo. E o Corinthians, na etapa final, ultrapassou bastante a linha que separa a paciência da lentidão. Devagar, a equipe não conseguiu nem manter a posse da bola e foi salvo por marcações erradas do bandeira Luis Claudio Rodrigues da Costa.

Tite resolveu, aos 15, dar profundidade maior ao time com a entrada de Alexandre Pato. Saiu Romarinho, que não estava mal, mas costuma ser candidato a substituições mesmo jogando bem. Minutos mais tarde, entrou Douglas no lugar de Igor, em um remanejamento tático de vários atletas.

Nada deu resultado. O time do Parque São Jorge teve mais uma atuação lenta, de inspiração mínima, apertou um pouco mais só nos acréscimos, parando em duas defesas de Felipe. Nova amostra de que a ideia de reformulação para a próxima temporada não é à toa. E o Flamengo conseguiu o que queria antes de decidir a Copa do Brasil.