Corinthians vacila, cede empate ao Atlético-PR e irrita torcedores

O time do Parque São Jorge chegou aos nove pontos, e o técnico foi hostilizado por boa parte da torcida ao término do jogo

Comentar
Compartilhar
22 MAI 201400h06

O Corinthians melhorou em relação à sua fraca atuação na derrota para o Figueirense, foi superior ao Atlético-PR na maior parte do jogo e não conseguiu vencer na noite de quarta-feira. A equipe vacilou demais na parte defensiva nos minutos finais, levou o empate por 1 a 1 e escapou de levar a virada.

O resultado no Canindé não foi o que esperava Mano Menezes após o tropeço no final de semana. O time do Parque São Jorge chegou aos nove pontos, e o técnico foi hostilizado por boa parte da torcida ao término do jogo. O Atlético, com seis, seguiu na metade de baixo da tabela.

Weverton para Corinthians no primeiro tempo

Em busca de uma melhora na criação das jogadas, Mano Menezes armou o Corinthians com três meias: Petros, Renato Augusto e Jadson. A ideia era que o time tocasse melhor a bola do que fez na derrota para o Figueirense, em Itaquera, e chegasse com frequência maior à área.

Não foi um primeiro tempo espetacular, mas a equipe, de fato, melhorou. Com boa participação de Guerrero na frente e uma atuação ativa de Renato Augusto, começaram a se multiplicar as faltas sofridas na intermediária. Jadson também tinha algum sucesso pela esquerda.

O Atlético-PR, comandado pelo interino Leandro Ávila, apostava na movimentação de Éderson na frente e buscava jogadas mais rápidas, com Bady e Marcos Guilherme. Não conseguiu nenhum lance de maior perigo e, a partir dos 20 minutos, passou a sofrer para conter ao adversário.

O Corinthians não saiu do empate nesta quarta-feira (Foto: Leandro Martins/Futura Press)

Na primeira chance do Corinthians, Jadson trabalhou com Fábio Santos, e Guerrero deu um toque inteligente após o cruzamento. Petros bateu forte, cruzado, e Weverton fez grande defesa. O goleiro voltou a trabalhar muito bem após falta batida por Jadson e cabeceio de Guerrero, buscando a bola no ângulo direito.

O time do Parque São Jorge ainda teve mais uma oportunidade, em escanteio batido por Jadson. A bola ficou viva na área e sobrou para Bruno Henrique, que bateu de primeira e não marcou por causa de um desvio na zaga. Mesmo assim, no intervalo, parte da torcida reclamou: “Vamos jogar bola, ô, ô, ô, ô!”.

Equipe alvinegra cresce; depois, vacila

Mano trocou Renato Augusto por Romarinho no intervalo. O atacante entrou bem pelo lado esquerdo, deixando Jadson mais centralizado. A equipe voltou agressiva dos vestiários e contagiou os torcedores, que valorizram o comportamento e passaram a empurrá-la de maneira mais barulhenta.

O prêmio pelo comportamento foi o pênalti sofrido por Guerrero, que ganhou da marcação pela esquerda, invadiu a área e foi ao chão após o combate de Cleberson. Aos 13 minutos, Jadson fez uma boa cobrança, rasteira, no canto direito de Weverton, que saltou para o outro lado.

O gol fez o Atlético buscar mais o ataque do que vinha fazendo. Entraram Nathan e Douglas Coutinho. E o Corinthians, embora menos agressivo, conseguiu perigoso, com Romarinho levando vantagem sobre a marcação e os espaços aparecendo para os contra-ataques.

Houve algumas oportunidades para encaixar os contragolpes até que Mano resolvesse segurar a bola, com Danilo no lugar de Jadson. O Atlético passou a frequentar mais o campo de ataque e foi para cima com a entrada de Bruno Mendes, que, no primeiro lance, cruzou para Douglas Coutinho perder de cabeça na pequena área.

O enorme vacilo não acordou a defesa do Corinthians, que voltou a errar logo em seguida. Aos 39 minutos, Coutinho teve nova oportunidade, após cruzamento de Suéliton, e cabeceou no canto direito de Cássio. O centroavante ainda esteve perto de conseguir a virada, acertando o travessão em chute de fora da área.