Corinthians conta com “empatite com gols” em decisão com o Grêmio

Como o Corinthians empatou (como de hábito) com o rival gaúcho por 0 a 0 em São Paulo, uma igualdade por qualquer outro placar garantirá a classificação para a equipe de Tite

Comentar
Compartilhar
23 OUT 201311h55

Houve um tempo em que Tite se incomodava com o termo “empatite”, criado para ironizar a grande quantidade de empates acumulada pelo Corinthians. Para disfarçar, o técnico até citava o neologismo espontaneamente, de modo bem-humorado. A partir de 21h50 (de Brasília) desta quarta-feira, em Porto Alegre, ele não irá se importar nem um pouco se voltar a justificar a brincadeira diante do Grêmio, no jogo de volta das quartas de final da Copa do Brasil, desde que o seu time marque gols.

Como o Corinthians empatou (como de hábito) com o rival gaúcho por 0 a 0 em São Paulo, uma igualdade por qualquer outro placar garantirá a classificação para a equipe de Tite – novo marcador zerado levará a decisão para a disputa de pênaltis. “Se for uma empatite com gols, está ótimo. Temos que fazer gols. Gol é bom! Vamos inchar a perna dos caras de tanto chutar. Façam gol! Ou pelo menos acertem naquele negocinho!”, sorriu Tite, usando os seus dedos indicadores para desenhar traves – o “negocinho” – no ar.

Gol pode ser bom, como diz o treinador, mas não tem sido um objetivo tão fácil de ser alcançado pelo Corinthians na temporada. O time só balançou as redes 23 vezes em 30 jogos no Campeonato Brasileiro. Só o ataque do lanterna Náutico (20) foi menos efetivo. Aliada à “empatite” (foram 13 igualdades na competição, a maior marca), a ineficácia ofensiva corintiana deixou o time próximo da zona de rebaixamento e ameaçou o emprego de Tite.

O Grêmio, ao contrário, chegou à vice-liderança do Brasileiro sob o comando do ídolo Renato Gaúcho e é apontado por atletas corintianos como favorito a avançar às semifinais da Copa do Brasil. O que não iludiu o lateral esquerdo Alex Telles. “A gente conhece a qualidade que o elenco do Corinthians tem. É o atual campeão do mundo e conta com atletas de seleção, além de um grande treinador. Esperamos uma partida complicada”, respeitou.

Tite escalou Walter no gol e pediu para os seus atacantes incharem as pernas para tentar vazar Dida (Foto: Denny Cesare/Futura Press/Estadão Conteúdo)

Os gremistas também foram elogiados em São Paulo. Campeão da Copa do Brasil pelo rival em 2001, quando superou justamente o Corinthians na final, o gaúcho Tite foi um dos que mais enalteceram o adversário. Sem se esquecer de que enfrentará um time contrário ao empate. “Faremos um jogo extremamente aberto e igual. O Grêmio terá que fazer o gol, então vai se expor mais. Sabemos que o 0 a 0 não serve para ninguém, mas o empate com gols é nosso”, repetiu.

Já que precisa ser ofensivo, o Grêmio voltará a atuar com três atacantes (na quarta-feira passada, o esquema tático escolhido por Renato Gaúcho contra o Corinthians foi o 3-5-2). Kleber e Vargas, dois destaques gremistas no empate por 2 a 2 com o Internacional, estão confirmados ao lado de Barcos, o argentino responsável por vazar o goleiro Cássio na vitória por 1 a 0 da penúltima rodada do Brasileiro.

Renato ainda terá o reforço do zagueiro Rhodolfo, que não atuou no Gre-Nal do último domingo por sentir dores musculares. Por outro lado, Werley, outro titular do sistema defensivo, sofreu uma lesão no decorrer do clássico e tem chances remotas de começar o confronto com o Corinthians. Bressan deverá ser o seu substituto.

Tite também tem problemas. O goleiro Cássio contundiu a coxa direita na vitória por 1 a 0 sobre o Criciúma e cederá lugar para o seu sósia Walter, credenciado por um bom retrospecto em cobranças de pênalti. No ataque, a principal baixa ainda é a do peruano Paolo Guerrero, que não escapou de uma cirurgia no pé esquerdo. Tite comporá o setor com Romarinho e Alexandre Pato, já que decidiu deixar Emerson no banco de reservas. A dúvida está no meio-campo, onde Renato Augusto substituirá Edenílson se o técnico sentir segurança em suas condições físicas.