Copa América: Conmebol decide sediar torneio no Brasil e agradece apoio de Bolsonaro

Confederação sul-americana define como país-sede do torneio de seleções deste ano o mesmo da edição de 2019

Comentar
Compartilhar
31 MAI 2021Por Gazeta de S. Paulo11h55
Até o início da reunião, a possibilidade de o Brasil organizar o torneio era descartada tanto pela CBF quanto pela ConmebolAté o início da reunião, a possibilidade de o Brasil organizar o torneio era descartada tanto pela CBF quanto pela ConmebolFoto: Lucas Figueiredo/CBF

O Brasil é o novo país-sede da Copa América. Após reunião emergencial na manhã desta segunda-feira, a Conmebol decidiu transferir para cá a realização do torneio, que seria inicialmente na Colômbia e na Argentina. A entidade ainda agradeceu o apoio do presidente Jair Bolsonaro em publicação no Twitter. Veja abaixo.

Pesou a favor do Brasil a expertise da organização da última Copa América, em 2019 (vencida pela Seleção). Além disso, outro argumento utilizado foi o fato do País ter mais estádios em boas condições para os jogos das equipes nacionais sul-americanas.

De acordo com a confederação, as datas de início e final do torneio estão confirmadas — 11 de junho e 10 de julho. As sedes e a tabela de jogos serão confirmados "nas próximas horas". A Conmebol estuda a possibilidade de fazer a final no Rio de Janeiro. O texto conta com informações do “G1”.

Até o início da reunião, a possibilidade de o Brasil organizar o torneio era descartada tanto pela CBF quanto pela Conmebol. Mas ao longo do encontro mencionou-se que o país tem estádios de Copa do Mundo que estão ociosos, como Mané Garrincha em Brasília, Arena da Amazônia, Arena Pernambuco e Arena das Dunas em Natal.

A ideia é colocar um grupo para jogar em Manaus e Brasília, o outro nos dois estádios do Nordeste. O Campeonato Brasileiro não será interrompido.

A Argentina deixou de ser sede da Copa América devido à piora da pandemia de Covid-19 no país. O ministro do Interior, Wado de Pedro, disse no domingo que organizar o torneio seria inviável, principalmente em Mendoza, Córdoba, Buenos Aires, Tucumán e Santa Fé.

A Colômbia, por sua vez, abriu mão da Copa América devido aos protestos populares vividos pelo país nas últimas semanas.

A entidade ainda agradeceu o apoio do presidente Jair Bolsonaro: