X

Esportes

Contra discurso de modernidade, Palmeiras cogita Luxemburgo ou Felipão

Segundo apuração, os experientes treinadores ganharam força no Verdão por 'conhecerem a casa'

Folhapress

Publicado em 26/07/2018 às 19:50

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

O Palmeiras cogita contratar Luiz Felipe Scolari ou Vanderlei Luxemburgo / Reprodução

O Palmeiras cogita contratar Luiz Felipe Scolari ou Vanderlei Luxemburgo para substituir o técnico Roger Machado, demitido na noite da última quarta-feira (25). Embora o discurso do presidente Mauricio Galiotte sempre tenha como bandeira a modernização da gestão, a pressão em ano político e a falta de opções no mercado fazem a diretoria estudar nomes que estão na ativa há 30 anos.

A situação também fez o atual comando promover a segunda quebra de contrato de um técnico que era aposta e não deu certo. A primeira havia sido com Eduardo Baptista, demitido para o retorno de Cuca. É por esse contexto que o time descarta, em um primeiro momento, nomes da "nova geração" como Jair Ventura e Zé Ricardo.

Segundo apuração do UOL Esporte, Luxa e Felipão ganharam força no Palmeiras por "conhecerem a casa". Apesar de despertarem rejeição imediata em parte da torcida e do Conselho, os dois comandantes são "cascudos" para lidar com o estilo de trabalho na Academia de Futebol, na avaliação de quem decide sobre o futuro no Alviverde.

Além da pressão por títulos, a diretoria sabe que o novo nome trabalhará nos próximos meses muito pressionado politicamente por conta da eleição presidencial marcada para o último trimestre do ano. Tanto Luxa quanto Felipão já atuaram em circunstâncias parecidas e, rotineiramente, faziam críticas públicas ao ambiente político do clube.

Outro experiente nome entre os técnicos brasileiros, Abel Braga já foi descartado. O treinador, que só prefere assumir o comando de clubes no início do ano, ficará ao lado de sua família pelo menos até dezembro. Em entrevista à Rádio Grenal nesta quinta-feira (26), Abel também descartou a possibilidade.

"Eu estou na academia, não estou por aí. Eu não vou para lugar nenhum. Em janeiro eu vejo para onde eu vou."

A possibilidade de ir atrás de um treinador estrangeiro também não é vista com bons olhos, pelo menos em um primeiro momento. A falta de conhecimento de terreno e de mercado fazem com que a atual administração foque em nomes brasileiros.

Além dos problemas dentro de campo, Galiotte também precisa lidar com outro item de pressão no dia a dia do clube. Por conta da dívida com a Crefisa, ele tem visto as contas reprovadas nas últimas análises do COF (Conselho de Orientação e Fiscalização). As eleições presidenciais do Palmeiras irão acontecer em outubro deste ano.

Apoie o Diário do Litoral
A sua ajuda é fundamental para nós do Diário do Litoral. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós do Diário do Litoral temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para o Diário do Litoral continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Polícia

Homem é esfaqueado em briga no Atacadão, em Santos

O caso ocorreu no Atacadão da Avenida Nossa Senhora de Fátima, no bairro Chico de Paula.

Polícia

Jovem morre após ser agredido por dois estudantes em Praia Grande, diz família

O caso foi registrado na Polícia Civil e a causa da morte ainda está sendo investigada

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter