Com novo show de Pato, São Paulo faz lição de casa e goleia Danubio

Os dois próximos confrontos do Tricolor serão contra o atual campeão, São Lorenzo, em 18 de março (no Morumbi) e 1º de abril (na Argentina)

Comentar
Compartilhar
26 FEV 201500h04

Ausente na dura derrota para o Corinthians, clube com o qual ainda tem contrato, Alexandre Pato garantiu na noite desta quarta-feira a recuperação do São Paulo na Copa Libertadores. O atacante voltou a dar show e marcou dois gols na vitória por 4 a 0 sobre o uruguaio Danubio, o primeiro deles ainda aos três minutos da etapa inicial no Morumbi, que recebeu público apenas razoável em virtude de problemas na venda de ingressos. Reinaldo e Cafu fecharam o placar na etapa final.

Confirmado o favoritismo, o time treinado por Muricy Ramalho soma os três primeiros pontos na competição sul-americana e se recupera do tropeço na estreia, em clássico disputado em Itaquera, na semana passada. O último colocado da chave passa a ser justamente o Danubio, que nesta quarta-feira terminou com um jogador a menos seu segundo revés consecutivo. Também integra o grupo, além do Corinthians, o argentino San Lorenzo.

Serão justamente contra o campeão da edição passada do torneio - que venceu na estreia - os dois próximos confrontos do São Paulo, em 18 de março (no Morumbi) e 1º de abril (na Argentina). Até lá, porém, a atenção se volta ao Campeonato Paulista, pelo qual a equipe vai a campo domingo, diante do Rio Claro, no interior. O Danubio, por sua vez, terá como futuro adversário o Corinthians, também no dia 18, em Montevidéu.

PAto comandou a vitória Tricolor (Foto: Divulgação/SPFC)

O jogo

Na entrevista de terça-feira, Pato se disse ansioso por sua primeira partida nesta edição do torneio e mostrou ter estudado bem a atuação do adversário diante do San Lorenzo. "O González é muito bom", disse, citando o camisa 10 da equipe uruguaia, Ignacio González. O meia teve a primeira grande chance da partida, logo aos dois minutos, em cruzamento rasteiro para o meio da área, mas isolou a bola na finalização e inicialmente não correspondeu à expectativa nele depositada.

Já Pato, no minuto seguinte, não desperdiçou a primeira bola que a ele chegou dentro da área. Depois de receber passe de calcanhar de Michel Bastos, Reinaldo colocou a bola entre as pernas do marcador, avançou à linha de fundo e cruzou. Pato se colocou bem e, ao contrário de González, esbanjou pontaria ao pegar de primeira, com a bola ainda no alto, para vencer o goleiro Franco Torgnascioli, estufar a rede e desmontar a estratégia defensiva uruguaia.

O gol elevou ainda mais a confiança do são-paulino, que já havia marcado duas vezes no sábado, em goleada sobre o Audax, pelo Campeonato Paulista. Depois de abrir o placar nesta quarta-feira, Pato foi o destaque no primeiro tempo também por lances de habilidade, como um cruzamento de efeito na intermediária e, mais tarde, um chapéu aplicado na ponta esquerda. Aos 29 minutos, ele só não fez outro golaço, este por cobertura, porque pôs força demais na bola.

A diferença técnica entre os dois times se provou gigantesca com o passar do tempo. González, de fato, era o jogador mais perigoso do Danubio, mas não tinha companhia à altura. O São Paulo, por sua vez, contava com Michel Bastos mais uma vez inspirado. O meia só decepcionou a torcida ao dominar mal um passe que o deixaria na cara do gol, aos 36 minutos. No mais, apresentou-se o tempo todo aos colegas e arriscou de fora da área, como lhe é característico. Paulo Henrique Ganso e Luis Fabiano, ao contrário, não estiveram muito participativos na primeira etapa.

Ficou a cargo de Pato, então, também o segundo gol. Depois de Bruno escapar nas costas do lateral esquerdo e acertar o cruzamento, Pato se valeu da falta de marcação para escolher o canto direito e cabecear a bola para a rede: 2 a 0. Foi o oitavo gol do atacante em nove partidas na temporada. Gol que, comemorado com beijinhos, foi dedicado mais uma vez à namorada, a modelo Fiorella Mattheis, já tida como talismã por parte dos torcedores são-paulinos.

Foi curiosamente somente depois do segundo gol que o Danubio conseguiu - talvez por relaxamento da defesa brasileira - um arremate razoável à meta de Rogério Ceni. Aos 42 minutos, Hamilton Pereira ficou com sobra na meia direita, carregou a bola e chutou à direita. As jogadas visitantes seriam melhores no retorno do intervalo. Além de uma falta cobrada por Leandro Sosa e defendida no canto esquerdo, o Danubio quase diminuiu a diferença no placar em cabeceio de González, que aproveitou vacilo de Rafael Toloi para finalizar rente à trave direita. Mais tarde, Fornaroli também arrematou acima do travessão.

A reação uruguaia sofreu um golpe aos 24 minutos, no entanto. Reinaldo recebeu na meia esquerda e arriscou. A bola desviou na defesa, enganou Franco Torgnascioli e entrou, aumentando a vantagem o saldo de gols do São Paulo na chave. No minuto seguinte, Hamilton Pereira discutiu com Michel Bastos e com o árbitro Enrique Osses e acabou sendo expulso, facilitando a lição de casa da equipe brasileira. Para não dar brecha ao azar, Muricy Ramalho sacou dois de seus pendurados (o volante Denilson e o lateral direito Bruno) e ainda comemorou mais um gol, aos 43 minutos, marcado por Cafu, sua terceira substituição.