Ceni lamenta derrota, mas cumpre profecia de ser campeão no Morumbi

Emocionado, técnico mal conseguiu falar após a conquista e recebeu um abraço caloroso de Marcos Vizolli, com quem conviveu no Tricolor

Comentar
Compartilhar
26 FEV 2021Por Estadão Conteúdo01h12
Ceni treinador do Flamengo observa foto de Ceni jogador erguendo taça pelo São PauloCeni treinador do Flamengo observa foto de Ceni jogador erguendo taça pelo São PauloFoto: ALEXANDRE VIDAL/CRF

Rogério Ceni estava pálido após o apito final da derrota do Flamengo por 2 a 1 no Morumbi. Não queria nem acompanhar os minutos que restavam no Beira-Rio. Sua angústia após mais uma derrota para o São Paulo era o medo de ver o Inter marcar um gol diante do Corinthians - o jogo terminou 0 a 0. Até ocorreu, mas foi anulado. Depois de uma "eternidade" de sofrimento, o treinador, enfim, pôde comemorar sua primeira grande conquista à beira do campo, cumprindo a profecia de ser campeão no estádio.

Emocionado, mal conseguia falar. Recebeu um abraço caloroso de Marcos Vizolli, com quem conviveu no Morumbi. Um parabéns de um técnico rival a quem sofreu muito com as cobranças.

"Não era dessa maneira que a gente queria, mas vale muito pelo que foi feito ao longo das 38 rodadas", comemorou, com a voz quase no fim. Ele gritou bastante ao longo dos mais de 90 minutos para o jogo e parecia incrédulo com o feito.

Ceni foi "arrastado" para o gramado. Ninguém queria que ele falasse. Os jogadores queriam parabenizá-lo pela profecia em Bragança Paulista, na qual disse que "o Flamengo será campeão no Morumbi''.

 

O ex-goleiro de tanta festa no Morumbi, acostumado a erguer taças pelo São Paulo, festejava pela primeira vez com as cores vermelha e preta. Foi jogado para o alto e muito festejado.

"Uma grande reviravolta num campeonato que parecia perdido. O Rio desperta diferente quando o Flamengo é campeão. E para mim é muito importante, consagração com somente quatro anos, a consolidação da carreira que começou em 2017", falou, depois de ver o time erguer a taça no pódio.

"Aqui é um lugar especial para mim. Tenho o maior respeito pelo São Paulo, clube no qual vivi desde os 17 anos como atleta. Muito orgulho por jogar aqui e muito orgulho por treinar o Flamengo. Um orgulho enorme e muita satisfação. Um sabor especial."