Flamengo é campeão pela oitava vez mesmo com derrota para o São Paulo

A equipe carioca tropeçou diante do São Paulo no Morumbi, 2 a 1 para os tricolores, mas contou com o fato de o segundo colocado Internacional não ter superado o Corinthians no Beira-Rio

Comentar
Compartilhar
25 FEV 2021Por Folhapress23h38
Flamengo repetiu a dose de 2019, levantando a taça pela oitava vez na históriaFlamengo repetiu a dose de 2019, levantando a taça pela oitava vez na históriaFoto: LUCAS FIGUEIREDO/CBF

O Flamengo é, novamente, campeão do Brasileirão! A equipe rubro-negra, que chegou à última rodada dependendo apenas das próprias forças, assegurou o título mesmo com a derrota por 2 a 1 para o São Paulo na noite desta quinta (25), no Morumbi. Com o resultado, o time da Gávea ficou com 71 pontos, mas viu o Inter tropeçar contra o Corinthians e repetiu a dose de 2019, levantando a taça pela oitava vez na história.

O triunfo do Tricolor paulista foi construído com um gol de Luciano ainda no primeiro tempo e de Pablo na etapa final. Bruno Henrique fez para os visitantes. Desta forma, a equipe chega aos 66 pontos e se classifica para a fase de grupos da Libertadores.

QUEM FOI BEM: FILIPE LUÍS
Filipe Luís foi um dos destaques do Flamengo na partida ocorrida na noite de hoje. O lateral esquerdo conseguiu impedir as investidas de Igor Vinícius nos dois tempos da partida e se tornou peça crucial na criação de jogadas da equipe no decorrer do duelo. O atleta mereceu destaque positivo com a atuação no Morumbi.

QUEM FOI MAL: HUGO SOUZA
O goleiro Hugo Souza, que se destacou no decorrer da temporada com as cores do São Paulo, foi um nome que recebeu destaque negativo na noite de hoje. O goleiro falhou em dois gols do São Paulo no jogo ocorrido no Morumbi. Ele errou ao arrumar a barreira e sofrer em cobrança de falta de Luciano e também em uma saída de bola, ao entregar a posse para Daniel Alves, que deu assistência perfeita para Pablo marcar. O jovem já havia falhado em outro jogo contra o Tricolor paulista, em duelo válido pela ida das quartas de final da Copa do Brasil.

LUCIANO MARCA
Com o gol feito em cobrança de falta, ainda no primeiro tempo, Luciano chegou a 18 gols na atual edição do Campeonato Brasileiro. O atacante brigava pela artilharia do torneio com outros três atletas - Thiago Galhardo (Internacional), Marinho (Santos) e Claudinho (Red Bull Bragantino). Os dois primeiros, no entanto, permaneceram com 17 gols assinalados no torneio nacional. O jogador do Braga chegou ao 18º ao fazer diante do Grêmio.

ATUAÇÃO DO SÃO PAULO
Todo posicionado na defesa, o São Paulo se desprendeu de tudo o que foi feito pelo trabalho anterior, do demitido Fernando Diniz, em seu último compromisso da temporada. Com três zagueiros e sem valorização da posse de bola desde a saída com Tiago Volpi, o mandante se prendeu a um esquema defensivo para impedir que o adversário balançasse a rede. Antes do intervalo, a forma de atuar surtiu efeito.

O Tricolor paulista ficou com a bola apenas por 32% do tempo e, com uma forte marcação, evitou que o adversário chegasse ao gol nas jogadas com os homens de frente e também por meio de bola parada. Com apenas uma finalização contra a meta adversária nos 45 minutos iniciais, Luciano foi o responsável por abrir o placar. Na volta do intervalo, o São Paulo manteve a forma de atuar. Acuado, seguiu abusando de contra-ataques e ligação direta. Porém, marcou o segundo gol com Pablo.

ATUAÇÃO DO FLA
O Flamengo controlou a partida no Morumbi. Com mais posse de bola e finalizações contra a meta de Tiago Volpi, a equipe rubro-negra teve algumas chances de balançar a rede, sobretudo com os homens de frente - Bruno Henrique, Gabigol, Pedro, Arrascaeta e companhia. No entanto, os dois gols do São Paulo - marcados por Luciano e Pablo - deram um baque no time comandado por Rogério Ceni, que não conseguiu tantas novas ações de perigo nos minutos finais.

CRONOLOGIA DO JOGO
Luciano, aos 48 minutos do primeiro tempo, balançou a rede de Hugo Souza em cobrança de falta. O atacante aproveitou espaço na barreira para estufar a rede do adversário.

Em pressão do Flamengo no segundo tempo, Bruno Henrique aproveitou desvio de Gustavo Henrique aos 6 minutos para balançar a rede de Tiago Volpi e igualar o marcador. Aos 13 minutos, Hugo Souza cometeu falha na saída de bola e entregou a posse para Daniel Alves. O camisa 10 deu passe para Pablo estufar a rede adversária.

LANCE REVOLTA SÃO-PAULINOS
Uma jogada em que Igor Vinícius foi ao chão após dividida com Isla na grande área gerou revolta por parte dos jogadores do São Paulo. Os atletas do time mandante pediram pênalti no lance, mas o árbitro Rodolpho Toski Marques (Fifa/PR) mandou a partida seguir normalmente. Luciano, um dos mais exaltados, ficou inconformado com a situação, mas nem o responsável pelo VAR - Wagner Reway (PB) - aconselhou a revisão da jogada.

 

FLA É BI DE NOVO
Com o título de 2020, o Flamengo conquistou novamente o bi do Brasileiro, e igualou feito do time que marcou época na década na década de 80. Antes da dobradinha 2019/2020, o Rubro-Negro havia vencido a competição duas vezes consecutivas em 1982/1983, quando contava com Zico, Júnior, Leandro, Adílio, Andrade e companhia.

CENI LEVA O TETRA
Rogério Ceni conquistou o quarto título do Campeonato Brasileiro, o primeiro à beira do gramado. Nos tempos de jogador, quando goleiro do São Paulo, ele levantou a taça em 2006, 2007 e 2008.

 

 

VOLTA OLÍMPICA NO MORUMBI
Quis o destino que Ceni conquistasse o primeiro título da Série A do Brasileiro justamente em um duelo com o São Paulo e no Morumbi, onde ele é ídolo e fez história. Celebrar um título no estádio, inclusive, é algo que Ceni sabe fazer.

Anteriormente, ainda dentro das quatro linhas, o Morumbi foi palco do Paulista de 1998 e 2000, Supercampeonato Paulista de 2002, Libertadores de 2005, Brasileiro de 2006 e 2007, e Sul-americana de 2012.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 2 X 1 FLAMENGO

SÃO PAULO - Tiago Volpi; Arboleda, Bruno Alves e Diego Costa; Igor Vinícius (Galeano), Luan (Hernanes), Daniel Alves, Tchê Tchê e Wellington (Gabriel Sara); Luciano (Igor Gomes) e Pablo (Tréllez). Técnico: Marcos Vizolli (interino)

FLAMENGO - Hugo; Isla (Matheuzinho), Gustavo Henrique, Rodrigo Caio e Filipe Luís; Diego (João Gomes), Gerson, Everton Ribeiro e Arrascaeta; Bruno Henrique e Gabigol (Pedro). Técnico: Rogério Ceni

Local: Morumbi, em São Paulo (SP)
Árbitro: Rodolpho Toski Marques (PR)
Auxiliares: Ivan Carlos Bohn (PR) e Victor Hugo Imazu dos Santos (PR)
Árbitro de vídeo: Wagner Reway (PB)
Cartões amarelos: Tchê Tchê, Robert Arboleda, Daniel Alves, Igor Vinícius, Wellington (SAO); Gabigol, Everton Ribeiro, Bruno Henrique (FLA)
Gols: Luciano, do São Paulo, aos 48'/2ºT; Bruno Henrique, do Flamengo, aos 5'/2ºT; Pablo, do São Paulo, aos 13'/2ºT