Brunoro vê contusão de Valdivia como fatalidade e promete prevenção

O dirigente se informou sobre o que deve ser feito para o meia jogar mais.

Comentar
Compartilhar
07 FEV 201320h35

Nesta quinta-feira, pela segunda vez em seis jogos no ano, o Palmeiras não poderá contar com Valdivia. Mas seu desfalque diante do Atlético Sorocaba é minimizado pela diretoria. José Carlos Brunoro se informou sobre o que deve ser feito para o meia jogar mais e, por isso, considera sua ausência no Pacaembu uma fatalidade.

“Fiz uma reunião com o departamento médico e sei do histórico de que ele precisa de um supertrabalho preventivo. Esse trabalho preventivo está sendo feito, então entra no campo da fatalidade”, disse o diretor executivo, apoiando o chileno.

Brunoro alivia nas críticas porque o jogador ainda não tinha se machucado em sua gestão. “O passado não reflete no momento de agora. Não vou desanimar com o Valdivia porque é a primeira contusão dele agora, comigo. O que falavam não é coerente com a dedicação dele agora.”

Todos no clube apontam mudança em Valdivia, a ponto de o presidente Paulo Nobre ter desistido do “papo reto” que prometeu com o camisa 10 para saber se seu desejo era sair do clube. O meia chegou das férias prometendo que atuaria por ele e pela seleção chilena neste ano sem sair do Verdão, até a pedido do técnico do Chile, e tem se dedicado.

Valdivia está fora da estreia do Palmeiras na Libertadores (Foto: Epitácio Pessoa/Agência Estado)

“Não duvido do passado, tanto que até o critiquei como torcedor, mas hoje o Valdivia está sem pisar na bola, fazendo tudo o que pedimos e mais. Está empenhado em voltar à seleção chilena, além de uma série de coisas”, apontou Brunoro. “O que aconteceu acontece com qualquer jogador. A partir do momento em que ele fizer qualquer movimento diferente, vou ter que atuar”, prosseguiu.
O Mago retornou das férias com quatro dias de atraso alegando que precisava terminar um trabalho físico em uma clínica de Santiago e já começou o ano multado. Apesar disso, mostrou-se recuperado da lesão no joelho esquerdo que o impedia de jogar desde 6 de outubro.

Neste ano, as duas contusões foram geradas por divididas. O chileno não atuou na estreia na temporada porque sofreu um carrinho de Henrique durante treino e entrou em campo já na partida seguinte com o tornozelo esquerdo ainda inchado. Desta vez, uma pancada sofrida no domingo, no empate com XV de Piracicaba, machucou sua coxa esquerda e ele ficará afastado dos jogos por duas semanas.

“Sabemos agora das necessidades reais do Valdivia e as melhores condições serão oferecidas para ele estar em campo na plenitude da forma. O trabalho preventivo com ele vai ser executado”, prometeu Brunoro.