X
Esportes

Após nova reunião com Lucas Lima, Santos já prefere apostar em 'plano B'

O presidente Modesto Roma perguntou mais uma vez a Lucas Lima se ele já havia tomado uma decisão. O atleta não trouxe nenhuma novidade ao dirigente

Lucas Lima não deve permanecer no Santos em 2018 / Divulgação/Santos FC

A permanência de Lucas Lima no Santos em 2018 fica mais difícil a cada dia. O UOL Esporte apurou que o presidente Modesto Roma se reuniu com o camisa 10 no último sábado (21) e saiu mais descrente em relação à renovação do atleta. Por isso, trabalha um "plano B" para o meio-campo.

Modesto Roma perguntou mais uma vez a Lucas Lima se ele já havia tomado uma decisão sobre a proposta feita pelo Santos em abril deste ano, quando a diretoria santista ofereceu um contrato de três anos, com salário de R$ 600 mil mensais e luvas. O armador tem contrato somente até o fim de dezembro deste ano.

Lucas Lima não trouxe nenhuma novidade ao dirigente. Ele disse que ainda segue analisando a proposta do Santos e reiterou que sua possível transferência ao Palmeiras é somente especulação. Na semana passada, o UOL Esporte publicou que o meia e seu estafe já sinalizaram ao clube paulistano que, se o jogador permanecer no Brasil, vai jogar pelo rival alviverde.

Sem confiança na permanência do atual camisa 10, Modesto Roma vai tentar a contratação de um "reforço de peso" para a posição hoje ocupada por Lucas Lima. Os meias Diego, do Flamengo, Damián Diáz, do Barcelona de Guayaquil, do Equador, e até Paulo Henrique Ganso, do Sevilla, da Espanha, estão na mira da diretoria santista para a próxima temporada.

O Santos monitora a situação do trio e tem Diego como preferido no momento. Em conversas de bastidores com os cariocas, a cúpula santista descobriu que "ex-Menino da Vila" seria uma negociação muita cara e longe da realidade do clube. Por conta disso, apostam que a fase ruim do jogador poderia render um "belo desconto" na compra dos direitos econômicos.

Diego, vale ressaltar, foi bem recebido pela torcida santista quando esteve na Vila Belmiro para defender o Flamengo neste ano. Diferentemente de Robinho, que é vaiado pelos torcedores por ter rejeitado o Santos para acertar com o Atlético-MG.

O Santos entende que, no Flamengo, Diego não tem mais a mesma força do início de passagem. A perda do pênalti contra o Cruzeiro, na final da Copa do Brasil, se soma às atuações abaixo da média do meia, que apesar disso segue sendo convocado pelo técnico Tite.

Damián Díaz, por sua vez, é argentino e acumula boas passagens por Boca Juniors e Universidad Católica-CHI, mas é ídolo da torcida do Barcelona-EQU, fato que dificulta a transferência. Ele já foi alvo do Santos em 2013, quando deixou o clube equatoriano para defender o Al-Wahda, do Oriente Médio.

O meia de 31 anos é o articulador das jogadas do Barcelona e mostrou habilidade e experiência nos confrontos contra o Santos -tanto para puxar os contra-ataques e servir aos atacantes de seu time como para esfriar o jogo. Neste caso, a diretoria santista já iniciou conversas com os agentes do jogador e também com os dirigentes do clube equatoriano para tentar fechar o negócio.

Paulo Henrique Ganso é a contratação considerada mais difícil para o setor. Pesa a favor a amizade do meia do Sevilla, da Espanha, com a atual diretoria e, principalmente, com Marcelo Teixeira, ex-presidente do clube paulista e que atualmente apoia Modesto Roma nas eleições santista.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

ELEIÇÕES 2022

Janones critica 'arrogância' de discurso da esquerda no Twitter

'Arrogância de setores da elite intelectual não lhes permite compreender que João Gomes forma mais opinião que Chico e Caetano', escreveu

Meio Ambiente

Desmatamento na Amazônia caminha para se tornar incontrolável, dizem especialistas

Com os níveis atuais de desmatamento registrados -com diversos meses com destruição amazônica acima dos 1.000 km²-, os compromissos climáticos internacionais do Brasil podem ficar em xeque, especialmente a redução da emissão de gases-estufa

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software