Após 'batismo' no Paraguai, Palmeiras tenta minimizar inexperiência

Às vésperas de enfrentar o Tigre na Argentina, na quarta-feira, a inexperiência deixou de ser tão comentada

Comentar
Compartilhar
04 MAR 201314h12

Na semana passada, Gilson Kleina usava o termo ‘batizado’ para definir o jogo contra o Libertad, no Paraguai, o primeiro no exterior em uma Libertadores tanto para o técnico quanto para quase todos os jogadores do elenco. Em campo, o time mal tocou na bola e foi derrotado. Por isso, às vésperas de enfrentar o Tigre na Argentina, na quarta-feira, a inexperiência deixou de ser tão comentada.

“Já vi muitas equipes ganhando muita coisa com jogadores jovens, isso é comum. Também já vi muitas equipes não ganharem nada com jogadores experientes”, comentou Valdivia, um dos que disputam agora sua primeira Libertadores. E que, como colegas mais velhos do grupo, ressalta que as exigências no torneio são iguais às de qualquer outro.

“Já tínhamos jogado o primeiro jogo na Libertadores, não era nossa estreia. E não tem diferença. Em todo jogo você tem que batalhar e lutar dentro de campo, fora de casa principalmente. Sabemos disso. Tivemos erros e temos que corrigir para voltar a jogar o que vínhamos jogando”, minimizou o capitão Henrique.

Patrick Vieira, que tem 21 anos e só começou a atuar com frequência entre os profissionais na temporada passada, concorda. “Não falta experiência. É jogo pegado, só nos falta se acostumar um pouco com as faltas que o juiz não dá. Isso não é inexperiência. Faltou sorte e o time deles era bom. Temos que aceitar isso e treinar para melhorar”, disse o meia.

Valdivia diz que já viu equipes sendo campeãs mesmo usando jogadores com menos 'bagagem' no futebol (Foto: Sérgio Barzaghi/Gazeta Press)

O discurso do Verdão é de que a derrota em Assunção foi consequência de uma má atuação, não da vivência dos escalados. “Faltou mais concentração e alegria, que é o que vinha tendo. Eles jogaram no nosso erro e também demos muitos contra-ataques, sendo que fomos preparados para jogar no erro deles. Infelizmente, não conseguimos”, lamentou Mauricio Ramos.

“O Palmeiras também tem jogadores experientes, que disputaram a Libertadores e já jogaram fora. Jogamos mal, sabemos disso, mas agora é pensar no Tigre, que vai ser um jogo decisivo para nós”, reforçou Valdivia.