Banner gripe

Anderson Silva recruta advogado em Las Vegas para se defender

Exame de urina realizado com material coletado pelo "Sports Medicine Research and Testing Laboratory", ligado à Universidade de Utah, acusou a presença de anabolizantes

Comentar
Compartilhar
04 FEV 201518h23

A defesa de Anderson Silva está recrutando uma equipe de advogados em Las Vegas para defender o lutador em julgamento disciplinar. A Comissão Atlética do Estado de Nevada vai ouvir o brasileiro no dia 17 de fevereiro.

Exame de urina realizado com material coletado no último dia 9 pelo "Sports Medicine Research and Testing Laboratory", ligado à Universidade de Utah, acusou a presença de metabólitos dos esteroides anabolizantes drostanolona e androsterona. No dia 31, outra amostra de urina foi examinada, e os resultados foram negativos. Uma terceira amostra, de sangue, foi colhida no dia da luta (28), mas o resultado não foi divulgado.

O resultado do exame do dia 9 tornou-se público antes de se conhecer o resultado da contraprova, o que deixou Anderson contrariado.

Claudio Dalledone Júnior, advogado de Anderson em Curitiba, o mesmo que defendeu Bruno, ex-goleiro do Flamengo, está sendo consultado pelo lutador. "Sou amigo e conselheiro do Anderson. Nossa equipe jurídica está buscando advogados em Nevada para defendê-lo. O Anderson tem me participado sobre o que está acontecendo. Confio nele e na equipe técnica que o orienta. A primeira providência é aguardar o resultado da contraprova. Acredito que o tratamento que o Anderson realizou (para se reabilitar de uma fratura na canela esquerda) possa ter potencializado ou alterado resultados".

A defesa de Anderson Silva está recrutando uma equipe de advogados em Las Vegas (Foto: Divulgação)

Thomaz Mattos de Paiva, presidente da Comissão Nacional Antidopagem da CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo), considera prematuro tecer qualquer comentário sobre o caso de Anderson no momento. "Não sabemos qual foi a metodologia empregada pelo laboratório no exame. O UFC também não segue os procedimentos que a WADA (Agência Mundial Antidoping) preconiza quanto à divulgação de resultados, então acho prudente esperar".

Paiva afirma que os esteroides anabolizantes, como a drostanolona e a androsterona, além de contribuírem para o aumento de massa muscular, proporcionam também vantagem psicológica no momento do combate. "São drogas que elevam o nível de testosterona no organismo. O atleta se torna mais agressivo".

Colunas

Contraponto