Abel vira primeira opção do Santos e conta com apoio de líderes do elenco

Modesto Roma Jr e sua cúpula pretendem anunciar o novo treinador até a próxima quarta-feira, dia que o Peixe recebe o Palmeiras para o clássico da Vila Belmiro

Comentar
Compartilhar
06 MAR 201518h29

O Santos não quer perder tempo e corre para contratar um substituto para Enderson Moreira o quanto antes. A demissão do técnico não estava nos planos da diretoria, que tomou a decisão nesta quinta-feira, após divergências com o ex-comandante da equipe, mas Modesto Roma Jr e sua cúpula pretendem anunciar o novo treinador pelo menos até a próxima quarta-feira, dia que o Peixe recebe o Palmeiras para o clássico da Vila Belmiro.

Muitos nomes já foram sondados e oferecidos ao alvinegro praiano, porém, o candidato mais forte neste momento é Abel Braga. O ex-técnico do Inter tem a aprovação do capitão Robinho e de outros líderes do time, como Elano e Ricardo Oliveira.

As duas partes já estão negociando e o acordo financeiro é o único detalhe que pode sacramentar ou melar a contratação.

Durante a entrevista coletiva de quinta dada com a intenção de explicar os motivos que causaram a saída de Enderson Moreira, Modesto Roma Jr deixou claro que o Santos conversaria apenas com técnicos que aceitassem uma condição salarial sem números exorbitantes.

“Futebol está mudando. Não dá para ninguém pagar mais do que arrecada. Treinadores precisam saber que o Santos e outros não vão mais pagar salários que não caibam no orçamento”, avisou o presidente.

Abel Braga era um dos nomes que não se enquadravam nestas condições. Porém, ao sondar o treinador, a diretoria santista percebeu a possibilidade de negócio graças a uma flexibilidade apresentada por Abel, que deixou o Internacional de Porto Alegre em dezembro do ano passado.

Na noite desta sexta-feira, o clube deve voltar à tratativas com o staff do técnico. A ideia do alvinegro praiano é oferecer um salário de R$ 200 mil até o fim do Campeonato Paulista. Após isso, os vencimentos de Abelão seriam incrementados com bonificações e prêmios por metas atingidas, o que podem elevar sua receita para R$ 400 mil mensais. O valor assusta diante de uma grave crise financeira que o Santos está atravessando.

Enderson Moreira recebia R$ 180 mil por mês e deixou o clube sem receber os direitos de imagem dos últimos seis meses, mesmo tempo da dívida com os atletas. Além disso, Muricy Ramalho e Oswaldo de Oliveira estão brigando pelos salários não pagos na Justiça.

 

Abel Braga é o preferido pela diretoria do Santos (Foto: Divulgação/Inter)

Outras opções

Como também explicou o mandatário santista, o clube trabalha com no máximo uma lista de cinco nomes. Caso não se acerte com Abel, Dorival Júnior passará a ser a bola da vez. O técnico é bem visto nos bastidores e tem um salário que se enquadra com o que o Santos pretende gastar.

Campeão Paulista e da Copa do Brasil com o time de Vila Belmiro, o treinador está desempregado desde dezembro, após se safar do rebaixamento no Campeonato Brasileiro dirigindo o Palmeiras.

No Peixe, Dorival acabou saindo de forma polêmica, depois de bater de frente com Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, presidente à época, e que contrariou o técnico ao ordenar a escalação de Neymar em um clássico contra o Corinthians. O atacante estava afastado por indisciplina, quando chegou a xingar Dorival durante uma partida no estádio Urbano Caldeira, e acabou sendo o pivô da demissão do treinador.

Em entrevista ao site Super Esportes de Pernambuco, o técnico do Sport Recife, Eduardo Batista, revelou que foi procurado pela diretoria santista, mas não entende que seja o momento de deixar o rubro-negro.

"Não chegou a ser uma proposta oficial. Fui sondado. Mas não acho que seja o momento de deixar o Sport agora. Ainda tenho algo a mais dar nesse projeto pelo clube", comentou Batista.

Vagner Mancini, ex-técnico do Botafogo e que trabalhou no Santos em 2009, é um dos nomes cogitados também, mas conta com certa rejeição.