Comércio eletrônico deve crescer 60% na Black Friday

A previsão é de que um milhão de pedidos sejam feitos via internet e o tíquete médio das compras fique em R$ 390. Segundo a E-bit, os descontos nestes produtos podem chegar a até 70%

Comentar
Compartilhar
07 NOV 201316h01

As vendas do comércio eletrônico devem crescer 60% durante a Black Friday, evento que ocorre em 29 de novembro e concentra promoções e descontos aos moldes do comércio norte-americano. Segundo a E-bit, empresa especializada em informações do setor, a Black Friday deve movimentar R$ 390 milhões para o varejo digital este ano ante um faturamento de R$ 243,8 milhões no mesmo período do ano passado.

A previsão é de que um milhão de pedidos sejam feitos via internet e o tíquete médio das compras fique em R$ 390. As categorias de maior valor agregado, como "Informática", "Eletrônicos" e "Eletrodomésticos", devem ser as mais vendidas. Segundo a E-bit, os descontos nestes produtos podem chegar a até 70%. "Moda e Acessórios" e "Telefonia/Celulares" completam a lista das cinco categorias mais procuradas na data.

A E-bit afirma que o setor vem se preparando para a data, reforçando suas operações e negociando boas condições com os fabricantes. Apesar disso pede para os consumidores terem cautela, verificarem se a loja é idônea e checarem as condições de compra e entrega.

As vendas do comércio eletrônico devem crescer 60% durante a Black Friday, evento que ocorre em 29 de novembro e concentra promoções e descontos aos moldes do comércio norte-americano (Foto: Luiz Torres/DL)