Cesta básica do paulistano fica 0,37% mais cara em março, diz Procon-SP

Nos 12 meses encerrados em março, a cesta básica acumula alta de 8,15% em relação ao mesmo período de 2014

Comentar
Compartilhar
17 ABR 201518h17

O preço médio da cesta básica paulistana registrou alta de 0,37% em março na comparação com fevereiro, o que representa uma desaceleração ante a alta de 0,71% registrada no segundo mês do ano ante janeiro. De acordo com a pesquisa feita pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) para o Procon-SP, o preço pago pela conjunto de 31 produtos básicos na capital paulista passou de R$ 423,88 em 27 de fevereiro de 2015 para R$ 425,44, em 31 de março.

Nos 12 meses encerrados em março, a cesta básica acumula alta de 8,15% em relação ao mesmo período de 2014. No primeiro trimestre de 2015, a alta acumulada ficou em 0,61%.

Dos 31 produtos pesquisados, 20 tiveram alta, 8 diminuíram de preço e 3 permaneceram estáveis na passagem de fevereiro para março. Dos três grupos avaliados na pesquisa, Limpeza registrou o maior aumento, com alta de 4,13%. O grupo Higiene Pessoal teve elevação de 1,52%. Já o grupo Alimentação registrou deflação de 0,19% em março.

A cesta básica do paulistano ficou 0,37% mais cara em março (Foto: Divulgação)

Os produtos que mais subiram em março foram ovos brancos (13,39% a dúzia), alho (12,30% o quilo), sabão em pó (7,01% o pacote de um quilo), óleo de soja (5,22% a embalagem de 900 ml) e detergente líquido (5,13% a embalagem 500 ml).

Já as maiores quedas registradas foram da batata (-15,72% o quilo), margarina (-3,76% o pote de 250 gramas), linguiça fresca (-2,37% o quilo), carne de primeira (-2,15% o quilo) e biscoito maisena (-1,95% o pacote 200 gramas).