X
MÚSICA

Estratégias inteligentes estão por trás do sucesso de Anitta

Especialista responde sobre como a cantora brasileira tem conquistado as paradas internacionais

Forbes avalia fortuna de Anitta em meio bilhão de reais / Reprodução/Instagram

Anitta está conseguindo conquistar o mercado musical mundial e muita gente tem se perguntado: o que ela fez para conseguir "chegar lá"? O especialista em distribuição digital, Jeff Nuno, explicou que estratégias inteligentes e tempo de memorização da imagem e da música dela no mercado latino e agora, americano.

Para Jeff, algumas características das estratégias da cantora podem ser relembradas, sobretudo, a forma gradual de ganhar mais espaço em outros mercados.

"Ela fez uma escalada e aos poucos. Digo isso porque porque se você vai lançar uma música hoje e de repente essa música explode dentro do mercado latino todo é muita sorte. A Anitta fez isso de uma forma gradual. Ela plantou um terreno, ela abriu um espaço dentro do mercado latino. Ela começou fazendo uma participação tímida em uma música de um artista mexicano, depois gravou e fez uma participação, tudo de uma forma tímida. Isso de fazer uma aparição em uma música ali, em outra aqui, vai memorizando a imagem dela na cabeça do público", disse.

O especialista também afirma que essa parceria de Anitta com outros artistas latinos que fazem parte do reggaeton, por exemplo, também alavancava a carreira deles onde ela já fazia sucesso, que era o Brasil.

"Para esses artistas era interessante abrir mercado dentro do Brasil e pra Anitta era interessante abrir um mercado fora. Então, se Anitta conseguiu chegar no top mundo, não se pode ignorar isso dentro da história dela. Porque ela está desde 2018 fazendo música com artistas latinos, ela está cantando com eles, participando de entrevistas e falando espanhol", contou.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

Nuno conta que desde 2016 começou a perceber que uma estratégia de ascensão simultânea entre um artista brasileiro no restante da América Latina e de um outro latino no Brasil seria de sucesso para os dois.

"As pessoas me questionavam 'a galera não escuta Reggaeton no Brasil?' e eu falava que não, ninguém escuta Reggaeton no Brasil e as pessoas achavam absurdo isso".

O empresário complementou dizendo que se um artista apresenta o mercado brasileiro para os artistas que estão fora do Brasil e falam que esse mercado tem mais de duzentos milhões de pessoas é óbvio que qualquer artista quer entrar dentro desse mercado."

Para o especialista, o fato dos mercados Brasil x restante da América Latina não conversarem entre si travou a exportação de artistas.

"Acho que foi uma miopia de mercado muito grande, porque hoje se tem alguém querendo gravar com artistas em espanhol foi porquê Anitta fez isso primeiro. Ela falou que ia fazer e plantou isso durante muito tempo e hoje ela tá obtendo resultado. Se tivesse algum artista fazendo isso de forma contínua desde 2016, acho que não seria só a Anitta que estaria fazendo isso".

Além da estratégia de parceria com latinos, Jeff falou sobre a importância do investimento no digital durante todos os anos de tentativa de sucesso fora do país da cantora, bem como o networking.
 
"As vezes o Neymar quer fazer uma festa e convida Anitta. Tem outra pessoa que é muito conhecida em Miami ou no México e chama a Anitta. A partir disso ela começa a abrir o mercado dela, ela começa a abrir o networking pra esses mercados e começa a ter a imagem cada vez mais presente em vários locais", finalizou.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Esportes

'Difícil, mas o não a gente já tem', diz presidente do Santos sobre Neymar

O Santos acredita que, se Neymar sair mesmo do PSG, seu destino será outro clube da Europa

Cubatão

Claudio Barazal é o novo secretário municipal de comunicação social de Cubatão

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software