X

CULTURA

Musicalização é tema de oficina em Cubatão

A Associação Vozes da Arte, que há mais de 25 anos mantém o coral infanto-juvenil Canto Mágico, abriu inscrições

Carlos Ratton

Publicado em 13/02/2023 às 08:30

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

A coordenadora do projeto é a maestrina e musicoterapeuta, Sônia Onuki, que estudou como a música pode colaborar com o aumento do vínculo afetivo entre pais e cuidadores com as crianças / Divulgação

A Associação Vozes da Arte, que há mais de 25 anos mantém o coral infanto-juvenil Canto Mágico, está com inscrições abertas para oficinas de musicalização. O público-alvo são professores da rede pública municipal de Cubatão. Os interessados em participar devem fazer inscrição prévia pelo e-mail [email protected]

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

A coordenadora do projeto é a maestrina e musicoterapeuta, Sônia Onuki, que estudou como a música pode colaborar com o aumento do vínculo afetivo entre pais e cuidadores com as crianças. "Quando os bebês ouvem música, ainda no útero, podem ter um aprendizado mais acelerado, principalmente da linguagem, já que a memória é fundamental nesse processo", explica.

O projeto é realizado por intermédio da Lei de Incentivo à Cultura, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo, conta com patrocínio da Unigel e apoio cultural da Prefeitura Municipal de Cubatão e da Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Cubatão.

Sônia revela que desde a gestação as crianças são impactados pela música. A canção de ninar interpretada pelos papais, os brinquedos com sons, as aberturas musicadas dos desenhos chamam a atenção dos pequenos.

"A música traz muitos benefícios para as crianças, na primeira infância, de zero a seis anos, contribuindo para o desenvolvimento intelectual, da fala, auditivo, sensorial, motor e ajuda também no desenvolvimento da memória e o próprio aprendizado da criança. Mas, o mais importante é que nessa fase é que as experiências, descobertas e afetos são registrados para toda a vida adulta", completa.

PAIS.
A Vozes da Arte criou também um projeto para desenvolver um espetáculo musical para essa faixa etária, aberto ao público, e que ainda contará com oficinas gratuitas para professores de educação infantil e pais interessados.

Sônia enfatiza que a música pode colaborar com o aumento do vínculo afetivo entre pais e cuidadores com o bebê e essa ideia é reforçada pela pesquisa realizada recentemente, na Finlândia, que teve como conclusão que os bebês são capazes de memorizar a música ouvida ainda quando estavam na barriga da mãe.

O estudo consistiu em expor os bebês nos últimos meses da gestação à mesma canção, quase que diariamente. Logo após o nascimento, os pesquisadores perceberam que a atividade cerebral deles aumentava quando ouviam a mesma música.

Aos quatro meses de idade, os cientistas repetiram o experimento e observaram um resultado idêntico. Ou seja, os bebês tinham memória a longo prazo.

ESPETÁCULO.
A Vozes da Arte ainda criou um espetáculo musical interativo para bebês e crianças até três anos e seus cuidadores. Os interessados em agendar espetáculo e/ou palestra, nos meses de maio ou junho, devem fazer inscrição prévia no email [email protected].

Em novembro, o Coral Canto Mágico irá apresentar o espetáculo Essência, em Cubatão, totalmente formatado para crianças de zero a seis anos.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Cotidiano

Rodovias Anchieta e Imigrantes registram 14 km de lentidão nesta manhã

Fluxo de veículos é uma das principais causas

Mundo

Geopolítica em choque! Presidente do Irã morre em acidente de helicóptero

Além do líder político, outras oito pessoas vieram a óbito por conta da queda

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter