Venezuela prende um general aposentado e mais 13 pessoas por tentativa de golpe

O presidente do Congresso, Diosdado Cabello, afirmou que entre os envolvidos estão 11 soldados e um general aposentado, que foram presos

Comentar
Compartilhar
13 FEV 201517h51

O governo da Venezuela comemorou o fracasso de um golpe que planejava explodir o palácio presidencial. Em comunicado, o presidente do país, Nicolás Maduro, informou que foram presos um general aposentado das forças aéreas e mais 13 pessoas envolvidas no complô para derrubar o governo socialista de 15 anos.

"Nós detivemos um golpe contra a democracia e a estabilidade de nossa pátria", declarou, na data que marca um ano dos protestos que dividiram a nação no ano passado.

O presidente do Congresso, Diosdado Cabello, afirmou que entre os envolvidos estão 11 soldados e um general aposentado, que foram presos. Além disso, declarou que dois políticos da oposição e um empresário foram responsáveis por planejar o golpe. Segundo o governo, os conspiradores pretendiam explodir o Ministério da Defesa e a sede da Telesur, canal de televisão estatal.

O líder oposicionista Jesus Torrealba rejeitou as acusações nesta sexta-feira. "O país está quebrando. O governo inventa essas histórias de golpe para não ter de falar sobre isso", disse à jornalistas.

O governo da Venezuela alega tentativas de golpe com frequência, entretanto não divulga provas nem dá seguimento às investigações. De 1999 a 2013, do primeiro mandato de Hugo Chávez até a sua morte, 63 complôs foram denunciados pelo governo. Desde que tomou posse, Nicolás Maduro divulgou mais de uma dúzia de tentativas de golpe, de acordo com o jornal Ultimas Noticias, de Caracas.

Colunas

Contraponto