Vândalos picham mais um monumento na zona sul do Rio

Desta vez, foi atacado o marco em forma de pirâmide, localizado no Parque do Flamengo, que homenageia Estácio de Sá, o fundador da cidade

Comentar
Compartilhar
26 DEZ 201319h08

Equipes da Secretaria de Conservação e Serviços Públicos da prefeitura do Rio concluíram na tarde de hoje (26) a limpeza de mais um monumento alvo de pichações na zona sul da cidade. Desta vez, foi atacado o marco em forma de pirâmide, localizado no Parque do Flamengo, que homenageia Estácio de Sá, o fundador da cidade. Inaugurado em 1973, o monumento é de autoria do arquiteto e urbanista Lúcio Costa.

Na madrugada de ontem (25), as estátuas do poeta Carlos Drummond de Andrade, no Posto 6, em Copacabana, e do jornalista Zózimo Barroso do Amaral, no Posto 12, no Leblon, também foram pichadas por vândalos. Após constatar na manhã desta quinta-feira a nova pichação, a secretaria registrou a ocorrência na 9ª Delegacia Policial, no bairro do Catete.

As duas ações de ontem estão sendo investigadas pela 13ª Delegacia, em Copacabana. De acordo com a Polícia Civil, até o momento não foi identificado o casal de pichadores da estátua de Drummond, flagrado pela câmera de segurança instalada no local pela prefeitura.

Estatua em homenagem a Carlos Drumond de Andrade amanheceu pichada na quarta-feira (Foto: Alessandro Buzas/Futura Press)

A Secretaria de Conservação informou ainda que foi feita uma vistoria em outros monumentos dos bairros onde ocorreram os atos de vandalismo, mas nenhuma outra ocorrência foi identificada.

Segundo a secretaria, não há como contabilizar os gastos específicos para a limpeza e restauração dos monumentos que foram alvo da ação dos vândalos. As ações, executadas pela Gerência de Monumentos e Chafarizes da secretaria, usam os mesmos recursos normalmente destinados à manutenção e revitalização desses equipamentos, que somam R$ 2,5 milhões por ano.