Telma de Souza tenta mudar situação da cadeia feminina de Santos

Deputada discutiu assunto com o juiz da Vara de Execuções. Com capacidade para 60 detentas, o local, com sérios problemas estruturais, abriga atualmente 120

Comentar
Compartilhar
21 JAN 201410h48

A deputada estadual Telma de Souza (PT) se reuniu, na tarde de ontem, com o juiz da Vara de Execuções Criminais de Santos, Antônio Álvaro Castello, para discutir a situação da Cadeia Feminina anexa ao 2º Distrito Policial de Santos, no bairro Jabaquara. Com capacidade para 60 detentas, o local, com sérios problemas estruturais, abriga atualmente 120.

Empenhada em buscar soluções para os problemas observados, Telma, que é Procuradora Especial da Mulher em São Paulo, pretende, agora, se reunir com a diretora da Cadeia Feminina de Santos, Daniela Lázaro; com o delegado seccional de Santos, Rony Oliveira e, ainda, com o Corregedor-Geral da Justiça de São Paulo, o desembargador Hamilton Elliot Akel.

De acordo com Castello, que realiza visitas periódicas à unidade, a situação atual é bastante delicada. Hoje, há planos, ainda embrionários, para reforma da unidade. Para sair do papel, porém, eles dependem, além da burocracia habitual, da transferência provisória das 120 presas para outra unidade, entre outras coisas. Segundo Castelo, em razão da urgência, chegou a ser aventada, de maneira informal, a possibilidade de estabelecer uma parceria com a Prefeitura de Santos para a viabilização da reforma, mas nada foi concretizado.

“Pela falta de condições físicas, há risco sério e permanente de acontecer uma tragédia na Cadeia Feminina de Santos”, destaca Telma de Souza. 

Telma vê risco de tragédia na unidade (Foto: Arquivo/DL)