X

Cotidiano

Santos, São Caetano e Balneário Camboriú têm mais moradores em apartamentos do que em casas

Morar em apartamento é fenômeno crescente no país, mostra a pesquisa

CLAYTON CASTELANI/FOLHAPRESS

Publicado em 23/02/2024 às 11:11

Atualizado em 23/02/2024 às 11:36

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Santos já tinha um processo de verticalização mais consolidado em 2010, com 57,8% dos seus habitantes em prédios, e essa proporção avançou para 63,5% em 2022 a maior do país / Carlos Nogueira/PMS

Segundo a pesquisa de características de domicílio do Censo 2022 do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), Balneário Camboriú (SC), Santos (SP) e São Caetano do Sul (SP) são as três cidades brasileiras que possuem mais da metade da sua população vivendo em apartamentos, contrariando a regra na maioria das cidades do país em que a casa é a forma predominante de morar, segundo a pesquisa de características de domicílio do Censo 2022 do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

Entre esses três municípios, São Caetano foi o que mais avançou na proporção da sua população vivendo em apartamentos entre as pesquisas de 2010 e 2022, passando de 35,3% para 50,8%.

Balneário Camboriú também rompeu a barreira de 50% de moradias verticais nesse intervalo, passando de 48,9% para 57,2%.

Santos já tinha um processo de verticalização mais consolidado em 2010, com 57,8% dos seus habitantes em prédios, e essa proporção avançou para 63,5% em 2022 a maior do país.

Em comum, essas três cidades estão em pontos estratégicos de regiões metropolitanas com forte atividade econômica e, dado à faixa territorial habitável relativamente pequena, podem ter sido levadas ao adensamento populacional por meio de construções verticais, segundo Bruno Perez, técnico da coordenação de população e indicadores do IBGE.

Morar em apartamento é fenômeno crescente no país, mostra a pesquisa. Esse grupo de moradores avançou de 8,5% para 12,5% da população entre 2010 e 2022. Mas a casa é o modo de habitação predominante, respondendo por 87,2%.

Apesar do avanço, apenas 49 dos 5.570 municípios do país possuem 25% ou mais da sua população morando em prédios.

Em média, as cidades têm apenas 2,5% da população morando em prédios. São os municípios mais populosos que empurram para o alto os dados da verticalização.

Das 319 cidades com 100 mil habitantes ou mais, 171 possuem 10% ou mais dos seus moradores vivendo em apartamentos. Em 14 delas mais de um terço da população (33,3%) está em condomínios verticalizados.
 

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Cotidiano

Confira o resultado da Lotofácil no concurso 3109, nesta terça (21)

O prêmio é de R$ 1.700.000,00

Cotidiano

ACOMPANHE AO VIVO: Sindicato decide se greve dos metrôs será nesta quarta

Votação está acontecendo neste instante

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter