X
Cotidiano

Saiba onde descartar gratuitamente lâmpadas usadas na Baixada Santista

Programa Reciclus é responsável por financiar o processo de logística reversa, coletar e descontaminar esses resíduos em todo o País

Na Baixada Santista, a Reciclus possui 72 coletores instalados em estabelecimentos comerciais / Divulgação

Se você é consumidor doméstico, já deve ter se deparado com a seguinte situação: o que fazer com as lâmpadas fluorescentes, depois que elas queimam? Essas lâmpadas possuem componentes que demandam um fluxo específico na coleta e destinação final. Por isso, o descarte incorreto, como no lixo comum, pode acarretar diversos problemas ambientais.

Com a finalidade de realizar a coleta e a destinação ambientalmente correta desses resíduos e a fim de cumprir com a determinação do Acordo Setorial, o programa da Reciclus (Associação Brasileira para a Gestão da Logística Reversa) disponibiliza 2.761 pontos de coleta em 587 municípios de todas as regiões do País, e quer ampliar sua atuação. Desde 2017, em todo o Brasil, a Reciclus já deu a destinação correta a mais de 16 milhões de lâmpadas.

Na Baixada Santista, a Reciclus possui 72 coletores instalados em estabelecimentos comerciais das cidades de Bertioga (1 coletor), Cubatão (6 coletores), Guarujá (11), Itanhaém (4), Mongaguá (5), Peruíbe (4), Praia Grande (11), Santos (23) e São Vicente (7).

A Reciclus é uma organização civil sem fins lucrativos, criada pelos principais importadores de lâmpadas, para atuar como Entidade Gestora do processo, seguindo um modelo de operação autossustentável.

A iniciativa envolveu diversos segmentos da sociedade e atende à determinação da PNRS (Política Nacional de Resíduos Sólidos), a Lei Federal nº 12.305/2010 que fala na responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos e na logística reversa (LR) como soluções para o descarte correto de itens que podem causar danos ao meio ambiente.

Participam do programa apenas as lâmpadas de uso doméstico, dos seguintes tipos: fluorescentes compactas e tubulares; de vapor de mercúrio, sódio ou metálico; e luz mista. Não há limite nem custo para o descarte, desde que seja realizado por consumidor doméstico.

A implantação dos pontos de coleta segue os critérios técnicos indicados no Acordo Setorial, como número de habitantes, área urbana, densidade populacional, domicílios com energia elétrica, poder aquisitivo, infraestrutura viária e acessibilidade. Para saber o ponto de coleta mais próximo de sua residência, acesse o site da Reciclus.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Praia Grande abre concursos públicos em duas áreas; salários chegam a R$ 7 mil

No total, são 77 vagas em diferentes cargos

Em parceria com o TSE, Instagram e Facebook inserem rótulos em 'posts' sobre eleições

O objetivo é rebater notícias falsas com informações oficiais do TSE

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software