Reconstrução de Xanxerê deve levar um ano, afirma prefeito

As buscas por vítimas não cessaram. Até o fim da manhã desta quarta-feira, 22, foram confirmadas as mortes de Alcemar Sutil, de 31 anos, e Deonir Comin, de 48

Comentar
Compartilhar
22 ABR 201514h17

Metade de Xanxerê, no oeste de Santa Catarina, está destruída após a passagem de um tornado a 250 km/h na tarde de segunda-feira, 20. Para reconstruí-la, o prefeito Ademir Gasparini (PSD) estima o prazo de um ano. Na cidade de 48 mil habitantes, o tornado deixou seis mil desabrigados, 120 feridos e dois mortos.

Antes da reconstrução, ainda há o trabalho de resgate. As buscas por vítimas não cessaram. Até o fim da manhã desta quarta-feira, 22, foram confirmadas as mortes de Alcemar Sutil, de 31 anos, e Deonir Comin, de 48.

Já para auxiliar na locomoção dos desabrigados, o Ministério da Integração Nacional solicitou 200 soldados do Exército. O ministro Gilberto Occhi, que visitou Xanxerê, também buscará recursos para a reconstrução das residências - cerca de três mil foram atingidas.

Metade de Xanxerê, no oeste de Santa Catarina, está destruída após a passagem de um tornado a 250 km/h (Foto: Flávio Carvalho/TudosobreXanxerê)

O governador Raimundo Colombo (PSD) decretou calamidade pública e vai destinar recursos do Fundo Estadual para o município, mas ainda não informou o valor da verba.

Enquanto o ministro do Trabalho, Manoel Dias, comprometeu-se a garantir o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para aqueles que tiveram perdas nas suas residências. De acordo com Dias, os pedidos de retirada do FGTS terão início nesta quarta-feira e a liberação pode sair ainda nesta semana.