Proibição de estacionamento surpreende lojistas de São Vicente

Com proibição, as duas faixas de rolamento da rua estão livres para o tráfego de carros

Comentar
Compartilhar
15 JAN 201410h37

Desde a última sexta-feira, comerciantes da Rua Jacob Emmerich, em São Vicente, foram pegos de surpresa. A Prefeitura distribuiu placas de ‘proibido estacionar’ em um trecho da via, onde antes a parada de carros era permitida. Com isso, os estabelecimentos comerciais alegam que sofrem com a queda na movimentação e cerca de 70 lojistas participam de abaixo-assinado contra a mudança.

Entre a Avenida Capitão-Mor Aguiar e a Rua Ipiranga, a Jacob Emmerich tinha o estacionamento de veículos liberado, apesar de ser uma das mais movimentadas vias do centro de São Vicente. Com a proibição, as duas faixas de rolamento da rua estão livres para o tráfego de carros, mas o motorista não tem mais a alternativa de estacionar próximo ao comércio local.

Há 12 anos, Jerson da Silva mantém um restaurante justamente no trecho e diz que vem sendo muito prejudicado pela mudança. Desde que as placas foram implantadas, o movimento de clientes em seu restaurante caiu consideravelmente, conta. “Eu não sei dizer quanto caiu, mas é só olhar pra dentro (do restaurante) que já se percebe”, disse o proprietário, apontando para seu estabelecimento, que estava vazio em plena hora do almoço.

Não só Jerson está insatisfeito com a situação. Tanto que ele elaborou um abaixo-assinado pedindo para que a Prefeitura volte atrás e permita o estacionamento de veículos no trecho novamente. Cerca de 70 comerciantes do local também assinaram.

Placas de ’proibido estacionar’ foram instaladas na 6ª feira (Foto: Luiz Torres/DL)

Otávio Mantovani, dono de uma oficina também no trecho, é um deles. Ele conta que está sendo prejudicado porque seus clientes costumavam estacionar os veículos na rua, em frente ao seu estabelecimento, até serem atendidos. “Agora eu estou tendo que colocar todos os carros dentro da oficina e eu não tenho espaço para todos. Estou perdendo muito serviço e eu não posso parar de trabalhar”, diz.

Jerson, o dono do restaurante, promete interditar a rua em forma de protesto caso a Prefeitura insista em manter a mudança no trecho. “Eu vou fechar a rua e ninguém vai conseguir passar”, promete, revoltado com a situação.

A Reportagem entrou em contato com a Prefeitura de São Vicente para questionar a razão da mudança e qual seria a tratativa com os comerciantes, diante do abaixo-assinado. No entanto, até o fechamento desta edição, a Administração não respondeu aos questionamentos.