Primeiro VLT desembarca em Santos

Composição chegou ontem à Cidade, após mais de um mês de viagem entre a Espanha e o Brasil. A entrega dos 22 veículos tem conclusão prevista para maio de 2015

Comentar
Compartilhar
22 MAI 201410h47

A primeira composição do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) desembarca hoje em Santos.  Desde ontem na Cidade, o navio que trouxe a unidade chegou por volta das 22 horas ao terminal portuário Deicmar. O presidente da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU), responsável pela implantação do veículo, Joaquim Lopes, deve se pronunciar ainda hoje sobre o cronograma de produção das outras unidades.

O VLT deixou a cidade de Valência, na Espanha, onde foi fabricado, no dia 8 de abril. A composição é formada por três carros. No total, serão 22 VLTs, somando 66 carros, que circularão no trecho a ser implantado pelo Governo do Estado de São Paulo entre Barreiros, em São Vicente, e o Terminal Porto, em Santos.

O primeiro VLT iniciará testes no início do segundo semestre. O período experimental se estenderá até o primeiro trimestre de 2015, quando começará a operação comercial. A entrega dos 22 veículos tem conclusão prevista para maio de 2015.

VLT terá 2,65 metros de largura por 44 metros de comprimento (Foto: Divulgação)

O navio que trouxe o VLT é o Grande Buenos Aires, da Grimaldi, que atua na modalidade Roll-On-Roll-Off Multipropósito, com comprimento de 214 metros. A descarga do navio será realizada por Maffis Trailler, responsáveis pelo descarregamento e transposição para carretas.

Segundo José Roberto Costa, gerente executivo de logística da empresa Cisa Trading, responsável pela gestão logística e pelo processo de importação nesta operação, a escolha da Deicmar para receber a carga se deve à localização do terminal, expertise da empresa em operações com embarcações Ro-Ro e o bom relacionamento entre as duas companhias e armador.

Cada VLT terá 2,65 metros de largura por 44 metros de comprimento, velocidade média de 25 km/h (a máxima é de 80km/h), ar condicionado e piso que facilita a movimentação de usuários com dificuldade de locomoção, e com capacidade para 400 usuários por viagem. O investimento total é estimado em mais de R$ 1 bilhão na compra dos equipamentos, infraestrutura, execução e manutenção do sistema.